Como fazer o recurso da Redação Cespe – MPU

Por  •  21 out 2010  •  Como se Preparar, Notícias  •  3 Comentários
Estrategia-Provas-Objetivas-como-fazer-concursos-publicos-exame-oab1

Para aqueles que ainda não protocolaram eletronicamente o recurso da redação do MPU, vai abaixo uma proposta de modelo de recurso, para questionar a correção dos “Aspectos Macroestruturais”.

Mais uma vez, fica a sugestão para que se adote construções objetivas, diretas e concisas. Também é importante ter o cuidado de não bater de frente e não agir de forma crítica em relação ao examinador.

MODELO DE RECURSO:

Conforme o parâmetro de correção, no item X.1, considerou-se como critério o …. Segundo o espelho de correção deste(a) candidato(a), do universo total de Z pontos, atribuiu-se pontuação Y. Não obstante a referida compreensão inicialmente adotada, requer a ponderação dos aspectos que passa a discorrer.

Analisando o conteúdo da resposta, sustentou-se que  (ARGUMENTO 1)….. Destaca-se que (REFORÇO DA ARGUMENTAÇÃO)……

Assim, diante das referidas ponderações, requer a verificação da possibilidade de reconsiderar a pontuação atribuída, de modo a assegurar a menção integral inerente ao presente item.

EXEMPLO DE RECURSO ELABORADO PARA ALUNA:

Conforme o parâmetro de correção, no item 2.4, considerou-se como critério a apresentação de “Fundamentos, dispostos na Lei Complementar n.º 75/1993, aplicáveis pelo ministério público à situação”. Segundo o espelho de correção desta candidata, do universo total de 2,0 pontos, atribuiu-se pontuação 0,80. Não obstante a referida compreensão inicialmente adotada, requer a ponderação dos aspectos que passa a discorrer.

Analisando o conteúdo da resposta, no primeiro parágrafo da primeira página da redação, foi apresentada a definição dos papéis do Ministério Público, inclusive com a indicação de existência de previsão constitucional, tendo sido apontada a atuação na defesa de interesse transindividuais e direitos fundamentais, como o direito à saúde. Destaca-se ainda que no parágrafo seguinte (linha 11), foi expressamente indicada a Lei Complementar 75/93, também como fundamento para a atuação do Ministério Público.

Portanto, foi exaurida a fundamentação correspondente ao parâmetro de correção indicado no espelho. Diante das referidas ponderações, requer a verificação da possibilidade de reconsiderar a pontuação atribuída, de modo a assegurar a menção integral inerente ao presente item.

Por fim, manifesto meus votos de êxito e a compreensão de que, vislumbrando algum fundamento, não deixe de recorrer. E se tiver que levar o questionamento à esfera judicial, sugiro a leitura do texto correspondente a ESTE LINK.

3 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. gilmara disse:30 jan 2011 às 6:56 pm · Responder

    Informações

    na busca de como fazer um recurso para concurso encontrei seu site.

    fiz um concurso hoje para a UFPE e fiquei na dúvida com a seguinte questão.

    05. “Há quase sempre um desesperado, um pessimista, um alienado, um medroso e um que desconsidera valores e princípios ao tentar salvar a própria pele.”. Nesse trecho, o segmento destacado expressa:
    A) condição.
    B) conclusão.
    C) causalidade.
    D) finalidade.
    E) tempo.

    Eles dizem que a letra correta é a E, para mim seria a D, será que posso recorrer?

    Att.
    Gilmara

    • Rogerio Neiva disse:31 jan 2011 às 11:27 pm · Responder

      Sem dúvida! E pode trabalhar com o modelo proposto.

      Estou na torcida pelo êxito!

      Att,

  2. João disse:1 dez 2013 às 5:08 pm · Responder

    Na busca por modelos de recursos, encontrei teu site. Fiz a prova de escrivão da PCDF e pra minha surpresa fui reprovado na discursiva por 0,45…

    Era uma situação hipotética em que o indíviduo tentava furtar uma calça jeans no valor de R$ 115,00 reais e foi abordado pelo segurança na fila do caixa.

    O quesito que minha pontuação foi baixa é este:

    Espelho:
    2.3 Admissão da devolução da coisa furtada como causa de exclusão da tipicidade do crime de furto ( 0,00 a 5,00 – 1,88 )

    Minha resposta: O CPB define o instituto do arrependimento posterior, que é àquele em que o agente comete o crime sem violência ou grave ameaça à pessoa e prucura minorar os efeitos de sua conduta. Portanto, o autor do crime que arrependido devolve voluntariamente a coisa furtada, poderá ser admitido o arrependimento posterior como causa obrigatória de redução de pena e não como exclusão de tipicidade.

    Rogerio Neiva , como exposto acima acho que respondi o quesito em sua plenitude.

    A pontuação que me deram foi: 1,88 de 5,00. Como não acredito muito que o CESPE leia recursos, na verdadade acho que a escolha é aleatória, por isso penso em levar a questão ao judiciário. O que acha?

    Outro ponto interessante é que no espelho não tem a resposta que eles consideram correta… brincadeira….

Deixe um Cometário