Como se Concentrar com a Técnica da Fragmentação

Por  •  5 jan 2015  •  Aprendizagem, Como se Preparar  •  75 Comentários
concursos públicos como se concentrar ter concentração para estudar

O objetivo deste texto é trabalhar uma estratégia para ter concentração nos estudos, que pode ser bastante útil, principalmente para aqueles com cotam com alguma dificuldade para se concentrar e se sujeitam facilmente à dispersão. Esta estratégia tem como base o conceito de fragmentação.

O tema da concentração nos estudos já foi objeto de abordagem em outros textos aqui do blog. Inclusive com sugestões para melhorá-la, não sendo a intenção do presente texto repetir o que já foi dito antes.

Porém, para compreender a estratégia a ser proposta, precisamos partir do conceito e da dinâmica da concentração. Neste sentido, a concentração consiste numa função cognitiva primaria, que envolve uma lógica de seleção de estímulos, qualquer que seja. (ver “Como se Preparar para Concursos com Alto Rendimento”, Ed. Método).

Assim, se concentrar nos estudos significa ignorar os demais estímulos que não seja o conteúdo que esta sendo estudado, o qual passa a ser valorizado. Por outro lado, quando temos dificuldade para nos concentrar é porque estamos vulneráveis a estímulos que não são o conteúdo a ser estudado, como por exemplo pensamentos e divagações que nos levam para longe.

Dessa maneira, quando temos dificuldade para nos manter a concentração, na realidade, estamos lutando para não perdermos o foco do objeto de conhecimento com o qual estamos tendo contato, ou seja, não nos dispersar. Portanto, a estratégia ora proposta é voltada a evitar a dispersão e, ao mesmo tempo, manter o foco naquilo que esta sendo estudado.

A ideia da fragmentação significa quebrar o tempo com uma atitude associada. Para adotar a estratégia você precisa contar com um timer ou cronometro regressivo (não por acaso o Tuctometro tem na versão timer – clique aqui para ver).

A título de exemplificação prática, vamos imaginar que você tem como meta estudar durante 2 horas consecutivas uma determinada matéria, por determinado livro. A depender de como anda e das suas condições de concentração, pode ser que se manter durante duas horas estudando pareça muito. Não só pareça como, de fato, você não consiga se manter efetivamente estudando de forma concentrada, sem se dispersar, durante 2 horas.

Dai você quebra estas duas horas em 6 períodos de 20 minutos. Assim, ao começar a estudar, programa o timer para 20 minutos e, naquele momento, a sua meta é não se dispersar apenas durante aqueles 20 minutos. Concluído o 1o período de 20 minutos, você imediatamente programa novamente o timer para mais 20 minutos e, naquele novo momento, sua meta será se manter concentrado, ou seja, sem mudar o foco, durante apenas e tão somente 20 minutos. E assim por diante.

Este tempo que sugeri, isto é, 20 minutos, pode ser o ideal, mas também pode ser muito ou pouco para você. Se você já esta bem para se manter concentrado, 20 minutos pode ser pouco, de modo que o ideal talvez seja 30, 40 ou 45 minutos. Se você não anda bem, talvez o ideal seja 15 minutos.

Entendeu?

Esta estratégia tem vários fundamentos. Inclusive, a idéia da fragmentação do tempo faz parte de alguns protocolos de tratamento do TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Mas uma das bases de fundamentação vem da Andragogia, campo do conhecimento centrado na educação de adultos, diferente da pedagogia, voltada à educação de crianças. E envolve a noção de que a partir do momento em que fragmentamos processos, podemos estabelecer metas memores, enxergar a possibilidade de alcançar pequenos resultados e visualizar como avançamos.

Aliás este tema da fragmentação já foi abordado em outras ocasiões, focada no planejamento de estudos, envolvendo o estabelecimento de metas de curto prazo (clique aqui para ler Gestão de Metas de Curto Prazo). E é uma das bases que da metodologia própria que esta por trás do Sistema Tuctor.

Portanto, se está com dificuldade para se concentrar, procure fragmentar seu tempo e veja se esta proposta lhe ajuda.

O que acha desta proposta? Deixe sua manifestação em forma de comentário, de maneira respeitosa, logo abaixo!

75 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Luis Cortizo disse:29 jan 2013 às 1:04 pm · Responder

    Muito bom.

    Como sempre acompanho as orientações, dicas e atualizações propostas pelo ilustre professor, irei aproveitar mais essa. Nao pelo fato de ter TDAH, mas pela simples correria do dia a dia que me consome e o telefone nao pára.
    Obrigado.

  2. Rafael Onx disse:29 jan 2013 às 2:09 pm · Responder

    Olá Rogerio, acredito que talvez essa seja a primeira vez que comento no seu (otimo) blog.
    Eu sofro de TDAH (sem a hiperatividade) e sei como é sofrível não conseguir manter a atenção em qqr coisa que seja e muito mais nos estudos.

    Lembro-me que durante as aulas de faculdade os 45min de cada aula eram uma eternidade ainda mais se eram duas aulas seguidas da mesma matéria.

    Contudo esse método de fragmentar o tempo me ajudou muito. Lembro-me que um amigo que cursava psicologia me sugeriu que em épocas de provas eu escalonasse o tempo que assim meu estudo renderia muito mais, e é simplesmente verdade. Isso da resultados mesmo, contudo deve-se haver um compromisso de pelo menos 25 – 30 minutos dedicar a atenção unica e exclusivamente para aquele foco.

    • Rogerio Neiva disse:30 jan 2013 às 10:47 am · Responder

      Caros Luiz e Rafael,
      Obrigado pelos feedbacks! Espero que ajude e depois gostaria que relatassem as experiências e percepções.
      Abcs!

    • Sulamita Lopes disse:5 ago 2015 às 9:56 am · Responder

      Olá. Sofro de déficit de atenção e desde criança sempre tive notas medianas e crescí com sensação total de incapacidade de aprendizagem. Depois de adulta, não é diferente. Por mais que eu me esforce e dedique horas e horas nos estudos, tenho a sensação que estudei pouco e absolvi menos ainda. A nota nas provas não poderia ser diferente. Sempre medianas. Tenho péssima concentração e me sinto uma lesada mental. Uma pessoa que sofre desse maldito transtorno tem capacidade de algum dia passar em algum concurso que seja? Você conhece alguém que tenha obtido sucesso com um diagnóstico terrível desses?

      • camylle disse:29 ago 2015 às 7:51 am · Responder

        Oi, Sulamita. Não sou o professor mas acho que posso te dar uma ajudinha. Olha, dá pra passar tendo TDA sim, viu?! Mas você deve ser mais disciplinada do que o que faz de costume. Aplica a técnica dele e mantenha um cronograma de estudos bem amarrado pra não haver dispersões. Tenta se premiar toda vez que conseguir seguir o cronograma, teu cérebro vai fazer a ligação entre o comprometimento e a premiação e vai passar a funcionar melhor. Use sempre uma agenda. Você consegue sim. Boa sorte!

  3. Rogério disse:29 jan 2013 às 2:34 pm · Responder

    Está é sem dúvida uma ótima dica professor, que inclusive venho aplicando em meus estudos já há algum tempo, porém tive contato pelo nome de Técnica Pomodoro.
    Visando auxiliar os companheiros que queiram colocar em prática essa técnica indico alguns aplicativos (para PC e para Smartphone) que foram desenvolvidos exatamente com esse fim.
    Para mim têm funcionado bem, pois estudo lendo no próprio Notebook ou com ele/ou celular próximos, e com o programa fica mais fácil controlar os períodos de estudo e descanso sugeridos pela técnica de fragmentação.
    PS: Prof. Rogério, aproveito para questioná-lo sobre quando será publicada a nova edição do Livro Estudos Dirigidos para TRT? A Editora Juspodivum está informando que não publicará mais a Coleção, porém fiquei sabendo que poderá ser publicada por outra Editora. Pode me dar maiores informações. Grato, Abraços

    • Rogerio Neiva disse:30 jan 2013 às 10:54 am · Responder

      Caro Rogério,
      Confesso que não conhecia a “Técnica do Pomodoro”, pois nunca a tinha visto em nenhum livro ou abordagem da área da psicopedagogia ou da psicologia cognitiva.
      Esta estratégia que chamei de fragmentação criei a partir da minha experiência prática de estudo, inspirado em uma aula que tive na pós em neuroaprendizagem sobre psicopatologias, na qual havia sido abordado o TDAH.
      Pelo que vi da técnica do Pomodoro, ela é tratada como técnica de gestão do tempo, apesar de envolver uma proposta bem semelhante.
      Outro aspecto que chamo atenção é que nesta técnica há uma sugestão engessada de trabalhar com intervalos de 25 minutos.
      E a minha sugestão é de que, por um lado, se trabalhe com o tempo necessário e possível para manter a concentração. Por outro, acho que a meta do candidato é sempre procurar ampliar este tempo, o que envolve uma lógica de ampliar a capacidade de concentração.
      Mas agradeço o alerta e a sugestão, pois foi interessante por ter me colocado mais uma construção valorosa e importante.
      Quanto ao livro, pelo que soube os coordenadores romperam o contrato com a Podvium, de modo que acho que por lá não sai uma 2a edição.
      Confesso que fiquei bem desanimado com este livro, pois apesar do esforço que eu e o outro colega da área trabalhista fizemos, o nosso nome nem apareceu na cara, de modo que ficamos bem desapontados, pois nossa intenção não era o retorno com direitos autoriais, o que seria e foi irrisório. Portanto, não ando muito empolgado com este projeto.
      Mas saliento que no Blog há muito material disponível de Direito e Processo do Trabalho, inclusive para TRTs.
      Abcs!

  4. Felipe Arruda disse:29 jan 2013 às 3:42 pm · Responder

    É o chamado “foco na bola”! Professor, tento usar essa tecnica utilizando como parametro a propria unidade de estudo: uma pagina dos meus resumos, uma questao ou ate mesmo um artigo de lei.
    Ao utilizar tal tecnica, percebemos o quanto poderiamos ser mais eficiente em nosso estudo se conseguirmos domar a dispersao.

  5. Cristina disse:29 jan 2013 às 6:38 pm · Responder

    Professor, muito obrigada por mais esta dica! Vou testar assim que puder! A propósito, parabéns pelo site, sempre com conteúdo que vale a pena ler!

    • Rogerio Neiva disse:30 jan 2013 às 11:01 am · Responder

      Pessoal, obrigado pelo incentivo!

  6. Rafael Cunha Fernandes disse:29 jan 2013 às 7:01 pm · Responder

    INTERVALO E A TÉCNICA DA FRAGMENTAÇÃO

    Professor,

    Quando acaba os 20min tenho de fazer 5 min de intervalo entre cada período, ou o intervalo fica apenas para o final do sexto período ?

    Grande abraço e parabéns

    • Rogerio Neiva disse:30 jan 2013 às 11:01 am · Responder

      Rafael, a proposta é que não faça intervalo. O intervalo seria no momento em que efetivamente você precisa fazer uma pausa. A ideia é apenas fracionar o tempo. Assim, o ideal seria zerar o cronometro e seguir adiante.
      Abcs!

  7. Cristiane disse:29 jan 2013 às 10:33 pm · Responder

    Engracado..hj mesmo estava procurando algum artigo que me ajudasse com relacao a concentracao. Adorei seu artigo. sempre leio, recebo news pelo email. Muito obrigado pela dedicacao. Com certeza seguirei suas orientacoes. Valeu mesmo ! Rumo ao concurso !

  8. Bruno disse:30 jan 2013 às 3:00 am · Responder

    Olá Rogério!,
    Finalmente vejo alguém citar a idéia de fazer um estudo em partes “menores”. Pois em toda literatura sobre técnicas de estudos que vejo (especializada para concursos) fala-se pouco ou nada a respeito, apenas alertando para não exagerar muito no estudo contínuo.
    Já ouvi palestra mencionando esta idéia e já li em material estrangeiro algo parecido.
    O embasamento é que o cérebro absorve melhor o início e o fim de um determinado tempo de estudo. Exemplificando: se a pessoa estudar 2h seguidas (o que não é recomendado), sem intervalo, o conteúdo absorvido será o que foi visto mais pro início e mais pro final desse tempo, digamos os 30 min de cada ponta, deixando uma “janela central”de 1 h de estudo mais suscetível de cair no esquecimento.
    O inverso, se estudar por ex. 1 h , as “extremidades” estarão mais próximas, ficando uma pequena janela central de menor absorção.
    PS: os ex. com horas e minutos são meramente ilustrativas para entendimento da teoria

    Grato Professor!

    • Rogerio Neiva disse:30 jan 2013 às 10:59 am · Responder

      Olá Bruno!
      Obrigado pela manifestação e feedback.
      Apenas pondero que estas definições temporais, como por exemplo 2 hs, 1 hs são relativas. O mesmo vale para o conceito que mencionou, sobre a eficácia da memorização no começo e final, o que inclusive, como vc bem disse, o clássico Alexander Luria trabalha e chama de teoria das extremidades. Assim registro outros fatores podem interferir neste processo cognitivo.
      Acho que o fundamental é que cada um procure se conhecer e entender seus limites.
      Abcs!

  9. Rubens disse:30 jan 2013 às 3:26 am · Responder

    Este foi um dos melhores textos que li sobre dicas de concentração.

    Muitos falam que conseguem estudar 2 horas sem interrupções mas será que estão aprendendo de verdade ?

    Parabéns caro Professor.

  10. CÍCERO TAVARES DE MELO disse:30 jan 2013 às 5:59 pm · Responder

    Professor Rogério Neiva:

    Obrigado por nos disponibilizar seus preciosos estudos neurolinguísticos com o fito de nos tornamos mais comedidos em relação aos nossos escassos tempos de estudos. Sabermos aproveitá-los melhor.

    Trabalho no Comércio aqui no Recife, e labuto durante 44 horas semanais. Estou cursando o 9º período de Direito, à noite. Que conselho o professor me daria para eu saber dividir minhas horas disponíveis nos finais de semanas e feriados para me preparar para o tão reprovante e temido Exame da Ordem, que já estou pensando em fazer já agora no X? Fazer um CERS à distância? Estudar por bons livros de doutrinas? Ou conciliar as duas coisas? Que livros o professor aconselharia adquirir para comprar, isso em todas as áreas do Direito.

    Atenciosamente,

    CÍCERO TAVARES DE MELO

  11. Paulo Pontes disse:30 jan 2013 às 6:12 pm · Responder

    Caro professor Rogério,

    Antes de mais nada só posso te agradecer por mais um brilhante texto.

    A bem da verdade é que o estudante, por mais que tenha a consciência do projeto e do foco no processo, invariavelmente – e de forma inconsciente – acaba permitindo que os pensamentos adentrem sua mente durante o estudo individualizado, levando consigo a concentração e o bom rendimento.

    Técnicas como essa ajudam e muito, pois não existe estudo de boa qualidade sem concentração.

    Parabéns pelo trabalho, professor.

    Se as pessoas envolvidas com a educação tivessem um centésimo da tua bondade e generosidade com o semelhante, no ato de compartilhar as técnicas de aprendizagem, certamente viveríamos em um país infinitamente melhor.

    Valeu !

    Abraço

    Paulo Pontes

  12. Luciano Silva disse:31 jan 2013 às 12:36 pm · Responder

    Prof. Rogério Neiva,

    Já li seu livro e gostei muito. Posso dizer que o livro é excelente e um dos primeiros onde o autor não vende uma fantasia para o candidato. Este artigo irá me ajudar bastante, pois tenho muita dificuldade em manter a concentração por muito tempo. Consigo estudar em ambientes adversos (crianças brincando, pessoas falando, etc), mas não por muito tempo, após 15 ou 20 minutos começo a perder a concentração. Como já aderi ao tuctor vou tentar utilizar a marcação de tempo do tuctômetro.
    Sds,
    Luciano

    • Rogerio Neiva disse:31 jan 2013 às 11:46 pm · Responder

      Luciano, obrigado por feedback e aguardo seu retorno com a experiência que teve. Abcs!

  13. Cleia Silva disse:1 fev 2013 às 11:38 am · Responder

    Gostei bastante e vou aplicar nos meus estudos, pois me disperso até com a brisa e isso me entristece pois quero atingir meus objetivos com a maior eficácia possível!

  14. Flávia disse:1 fev 2013 às 1:42 pm · Responder

    Rogério, boa tarde!
    Há aproximadamente 6 meses conheci essa técnica, pelo nome de Pomodoro Technique. Tinha bastante dificuldade de concentrar nas aulas do meu cursinho, que assisto em casa, pelo computador. Após conhecer a técnica, peguei o timer da minha cozinha, um porquinho, e comecei a colocá-lo por 30 minutos, fazia um intervalo de 5, e assim por diante. Agora coloco-o por 60 minutos e faço intervalo de 10. Tem funcionado bastante.
    Indico para os leitores do blog!

    • Rogerio Neiva disse:1 fev 2013 às 4:40 pm · Responder

      Cara Flávia,
      Como disse respondendo ao comentário do Rogerio, não conhecia a “Técnica Pomodoro”, mas acho que há algumas pequenas diferenças com o que estou propondo.
      A primeira é a rigidez da proposta da referida técnica quanto aos 25 minutos, sendo que proponho uma flexibilidade dinâmica, ou seja, o tempo é o seu, mas com a meta de aumentar na medida em que evolui.
      A segundo é que minha sugestão é usar o cronômetro regressivo, o que tem uma série de sentidos e fundamentos, de modo que considero bem diferente da estratégia de usar o cronômetro progressivo.
      Mas o espírito, inegavelmente, é semelhante.
      E se vem dando resultado para você, que ótimo! Que assim continue!
      Abcs!

  15. Rodrigo disse:5 fev 2013 às 2:01 pm · Responder

    Olá! Muito interessante!
    É possível usar esta técnica numa aula expositiva em sala de aula?
    Abçs!

  16. Mário disse:7 fev 2013 às 10:56 pm · Responder

    Excelente artigo, Professor! Ajudou muito!

  17. Rocha disse:10 fev 2013 às 11:11 pm · Responder

    Professor com esta técnica será possível aumentar a concentração em um tempo maior?

    Pois temos que ficar muitas vezes concentrado por mais de 4 horas para fazer uma prova.

    Qual o limite máximo que uma pessoa consegue ficar concentrado consecutivamente no estudo de uma matéria? Tendo base em seus estudos.
    Muito obrigado.

  18. Anderson disse:26 abr 2013 às 11:37 am · Responder

    Dicas são sempre importantes no caminho de quem escolheu os concursos públicos, principalmente no meu caso que nunca deixar de trabalhar (advogar) para estudar e ainda tenho que conciliar o tempo com minha família. As orientações desse método sempre ajudam muito…
    Obrigado.

  19. Cláudio Ivan disse:26 abr 2013 às 12:14 pm · Responder

    Vale testar esta técnica, tenho bastante dificuldades em me concentrar, sempre fico disperso com muita facilidade, os pensamentos começam a inundar e tomam conta, levanto com frequência para procurar outras tarefas e por fim acabo por não finalizar é nada. Leio vários trechos de livros por dia, mas não consigo ficar centrado somente em um. Não tenho paciência com as pessoas falando, quero que elas falem e acabem o mais breve possível caso contrário começo a balançar a cabeça com sinal de entendimento mas na verdade já não ouço o que ela diz, só quero que ela páre de falar e vá embora, gosto de objetividade. Fico disperso com o que as pessoas dizem após alguns segundos e eu falando depois de alguns minutos. Não sei se este problema é TDAH, tampouco sei quem consultar.

  20. Cláudia disse:26 abr 2013 às 1:20 pm · Responder

    Muito bom! Tenho uma dificuldade muito grande de me concentrar e achei a técnica uma boa maneira para melhorar o rendimento. Obrigado!

  21. Jamara Milbratz Fiorot disse:26 abr 2013 às 2:08 pm · Responder

    Muito bom, eu tenho dificuldade de estudar várias horas seguidas, mas consigo me concentrar por 30 min, com mais facilidade do que por 1h30 de estudo, por exemplo, e procuro também agora estimular mais o meu estudo diário em casa, através de cursos online.

  22. Alex disse:26 abr 2013 às 2:11 pm · Responder

    Estou voltando a estudar depois de 5 anos sem tocar num caderno/livro, tenho o déficit de atenção e vou adotar esta técnica. Ficarei atento a mais dicas. Obrigado.

  23. JUCILENE MARIA FIGUEIRA CAVALCANTE ARARIPE disse:26 abr 2013 às 2:31 pm · Responder

    Rogério, Boa tarde!
    Muito boa a proposta, não tinha ainda pensado nesta forma de redução e aproveitamento do tempo destinado aos estudos. Com certeza esta é uma técnica que pode ajudar muito tendo em vista que elimina a impressão de um grande tempo reservado para estudar mas que, ao mesmo tempo aquelas horas são cumpridas.
    Obrigada.

  24. Carlos disse:26 abr 2013 às 2:41 pm · Responder

    Minha TDA é tão absurda que precisei dividir a matéria acima em várias partes ou não consegueria ler. Eu já faço isso há muito tempo e funciona, mas ser um doente é um porre e ninguém compreende, acha que é frescura.

  25. ELDILENE disse:26 abr 2013 às 2:46 pm · Responder

    Gostei muito, pois achou que é o que preciso para começar a estudar.

  26. Robério Rosa disse:26 abr 2013 às 2:53 pm · Responder

    Boa tarde,

    Irei buscar por em prática, pois tenho o TDAH, jamais tive ajuda, agora que estou na faculdade estou tendo muitas dificuldades, pois, isso atrapalha muito o desempenho e vida da gente.

    Professor agradeço pelo excelente texto.

  27. Rosiane disse:26 abr 2013 às 3:39 pm · Responder

    Prof. Rogério, obrigado pelo excelente artigo,suas dicas de estudo chegaram em boa hora, vou testar a redução de tempo e com certeza irei ter um melhor aproveitamento nos estudos. Aguardo mais dicas.

  28. Jussivan disse:26 abr 2013 às 3:48 pm · Responder

    Extremamente válidas as ideias emanadas no texto, e funcionais, acredito eu. Costumo dividir meu tempo de estudos na esperança de melhorar a concentração e o rendimento e tenho visto que funciona, dá ótimos resultados.
    Fragmentar e temporizar os estudos da maneira indicada aqui é forma de se ter mais controle sobre nossa própria vontade e concentração.
    Agradeço pela oportunidade de ler este conteúdo, suas dicas sempre foram indispensáveis àqueles que precisam dedicar horas em estudos.

  29. Rafael Saurin Pinto disse:26 abr 2013 às 4:28 pm · Responder

    Caro Professor Rogério,
    Certamente, trata-se de mais um artigo instigante e ao mesmo tempo técnico!
    Obrigado pela dica!
    E continue no seu caminho de sucesso! Nós, concurseiros, agradecemos!

  30. Leise disse:26 abr 2013 às 5:26 pm · Responder

    Muito Bom!! Parabéns!! Estava precisando de umas dicas assim…Obridaga!! :D

  31. wallace disse:26 abr 2013 às 5:37 pm · Responder

    Boa noite, achei bastante interessante a dica e estarei aplicando em meus estudos.

  32. lUIZ cARLOS disse:26 abr 2013 às 10:27 pm · Responder

    Como sempre, excelentes sugestões todas baseadas em fatos científicos e, principalmente com sentimentos nobres. Muito obrigado, Doutor!

  33. Kadyne disse:27 abr 2013 às 10:16 am · Responder

    Mais uma vez uma dica show de bola!!! Eu já faço isso e é infalível! O sistema tuctor me ajudou muito nos estudos, pois estudar em casa e pela net é um desafio!!! Parabéns professor!!

  34. leonardo disse:27 abr 2013 às 12:14 pm · Responder

    Excelente artigo de grande validade para todos nós que estamos nessa jornada de concursos. Professor muito obrigado por sua generosidade em passar seus conhecimentos para nos ajudar.

    Abs

  35. florisvaldo delfino do nascimento disse:28 abr 2013 às 4:12 pm · Responder

    Tenho feito outras técnicas como estudar por duas horas a mesma matéria, porém tenho dificuldade em concentração. Vou tentar esse método obrigado pela dica.

  36. Maria José Ribeiro disse:29 abr 2013 às 9:14 am · Responder

    Como tenho muito dificuldade de concentração e de me manter quieta por muito tempo, sem saber, usava essa estratégia, de fragmentar meu tempo de estudo.
    A partir de agora, usarei a técnica com mais segurança.
    Quero ainda lhe agradecer, pois suas orientações me tem sido valiosas.

  37. Erik Tobias disse:29 abr 2013 às 4:02 pm · Responder

    Todos os artigos do blog que já li são ótimos e esse é mais um deles. Colocarei essa técnica em prática, tenho certeza que ajudará. Muito obrigado!

  38. Rita Carias disse:30 abr 2013 às 5:23 pm · Responder

    Gostei da dica. Vou começar atestar nos meus estudos, pois estudo durante 2h seguida com intervalo de quinze minutos, além da leitura do livro da matéria do dia.
    Sinceramente, não sei se estou fazendo o que seria saudável.

    Desde já agradeço,

    Rita

  39. A. Ballerine disse:2 mai 2013 às 9:27 am · Responder

    Nossa, adorei essa técnica. Vou aplicá-la hoje mesmo. Quando li: ”pensamentos e divagações que nos levam para longe.” , lembrei de mim mesma estudando hahaha..esses pensamentos e divagações acontecem 99,99% das vezes que estudo…às vezes até paro e falo pra mim mesma: ”Por que cargas d’água estou pensando nisso?” É sempre assim, eu leio alguma coisa durante o estudo ou escuto uma palavra do professor na aula e ligo isso a alguma outra coisa e depois outra e vou deixando os pensamentos me levarem e quando percebo estou perdida em pensamentos nada a ver com o estudo. Afff.. tem dia que dá até raiva! kkkk

    Bons estudos gente”

  40. Magnolia T. Silva disse:10 mai 2013 às 8:13 am · Responder

    Vou aplicar, vamos ver o que vai dá! Parece interessante, mais acho que depende de cada um.

  41. Elizabeth Corrêa de Lima disse:29 mai 2013 às 5:03 pm · Responder

    Olá, Professor Rogério:

    Aprecio muito suas técnicas e admiro a maneira como as expõe.
    Grata pelas contribuições enviadas ao meu e-mail, as quais procuro divulgar amplamente.
    Até mais.
    (a) Elizabeth

  42. Júnior Pereira disse:18 jun 2013 às 10:24 pm · Responder

    Professor Rogério Neiva, muito obrigado por todo o suporte pedagógico que o senhor nos oferece. Depois de conhecer suas técnicas de aprendizagem meus estudos estão rendendo bastante, estou mais concentrado e mais organizado. Principalmente com toda a estrutura que o sistema TUCTOR proporciona. Antes eu fazia tudo errado. Em breve terei a satisfação de deixar meu comentário no seu site dizendo que fui aprovado.

  43. Sérgio Guimarães disse:4 fev 2014 às 1:09 pm · Responder

    Suas dicas são de grande valia, vou começar a pôr em prática logo no próximo estudo!
    Obrigado!

  44. juscelino disse:16 mar 2014 às 10:51 pm · Responder

    Valeu :)

  45. Débora Teles Moreira disse:9 abr 2014 às 3:48 pm · Responder

    Estou aplicando essa técnica por sugestão de alguns amigos.
    Estudo 55 min marcados. Paro 5 minutos. Levanto, vou andar, beber água, vou ao banheiro, enfim, descanço a mente. Não leio nada durante esse pequeno intervalo. E depois retomo os estudos. Ainda não tenho um cronômetro. Marco por crônometros onlines. Mas pretendo comprar um, pois acho que é realmente melhor ter um aparelho cronômetro, do que estes de celular e internet, que podem acabar nos distraíndo.
    Conclusão: estou satisfeita com o resultado.
    Percebi que o meu rendimento está melhor.
    Nunca havia lido nada sobre, gostei muito e já vou fazer alguns ajustes hoje mesmo!

    Abs.,
    Débora

  46. Cristiano Brandão disse:21 jul 2014 às 11:15 pm · Responder

    Parabéns! Prof. Rogério Neiva, esse artigo é um bom caminho para o crescimento gradativo nos estudos. Valeu!

  47. KARINA disse:12 set 2014 às 5:44 pm · Responder

    SIMPLESMENTE DEMAIS !!!

  48. André disse:27 nov 2014 às 1:51 pm · Responder

    Obrigado pelas dicas. Começarei a praticar em seguida coloco meu depoimento.

    Abraços,

  49. MORGANA disse:14 fev 2015 às 9:34 pm · Responder

    Excelente, Professor.
    Pesquisando algo coerente e que me atendesse, encontrei o seu blog. Gostei muito da forma exposta e da atenção com os alunos.
    Utilizarei a Técnica de Fragmentação a partir de amanhã.
    Gratidão por expandir conhecimentos e dicas valiosas.

  50. ANA CLÁUDIA disse:15 fev 2015 às 3:18 am · Responder

    MUITO BOA!

  51. Max disse:10 mar 2015 às 11:04 pm · Responder

    A ideia é simples, bom nesse quesito. Ruim: sua capacidade de complicar o simples. Como? Sendo prolixo. Texto prolixo.

    • Rogerio Neiva disse:10 mar 2015 às 11:14 pm · Responder

      Prezado, esta é a sua opinião, a qual revela uma boa dose de humildade. Mais uma crítica pela crítica, sem utilidade alguma.
      Porém, o que vê como prolixo, considero fundamentação do que se apresenta.
      Não consigo defender nenhuma ideia sem apresentar os fundamentos que a embasam. Para alguns, defeito. Para outros, qualidade.

  52. andre disse:16 mar 2015 às 9:24 pm · Responder

    muito obrigado, estou com dificuldade no foco, consigo mante-lo em 40 minutos e depois começo a dispersar as idéias do tema em que estudo.
    o método irá me trazer muitos benefícios

  53. Alexandre Lyra disse:23 mar 2015 às 8:12 pm · Responder

    Eu tenho boa experiência em estudos e percebi que nossa mente demora algum tempo até que o interesse aflore e se envolver no assunto que está sendo estudado. Este tempo costuma ser de dez a quinze minutos.
    A partir deste tempo, a nossa memória operacional já baixou o conteúdo da memória de longo prazo que estava retida e conseguimos fluir com mais facilidade no que está sendo estudado.
    Se interrompemos o estudo a cada vinte minutos para descansar, estaremos desperdiçando todo o trabalho que já foi feito pela memória de trabalho (operacional). ao reiniciar, teremos de recarregar parte do que deve ter sido liberado pela memória operacional, desperdiçando tempo e esforço.
    Lembrem-se que concentração é uma habilidade que deve ser desenvolvida pela prática, assim como em qualquer esporte ou atividade física.
    O que recomendo é estabelecer um plano de estudos, iniciando com seções de 20 minutos, mas ir aumentando este tempo gradativamente.
    Eu usei está técnica há muitos anos atras e consigo estudar e trabalhar mais de cinco horas consecutivas sem perda de desempenho.

  54. ISABEL CRISTINA BUENO GARCIA disse:6 mai 2015 às 9:56 am · Responder

    Eu já havia lido esse texto. Na época empolgada com os estudos, super dedicada e cheia de planos não cheguei a aplica-la. No entanto, os anos se passaram e como a caminhada é longa, estou naquele momento de completo desanimo, falta de concentração, falta de motivação e voltando para a Internet na busca de ajuda. Novamente seu excelente método e texto vieram até mim. Só que dessa vez como uma luz ao fim do túnel. obrigada.

    • Willyan Cosmes disse:12 mai 2015 às 11:46 pm · Responder

      Somos dois Isabel! Estava me sentindo assim… tenho certeza que depois desse artigo as coisas vão melhorar 100%!!! Avante!

  55. sandra disse:30 mai 2015 às 5:23 pm · Responder

    olá,adorei a sugestão pois,encontro-me justamente assim dispersando demais sem falar na falta de foco.

  56. Leiry Dhária Martins disse:11 jun 2015 às 12:23 pm · Responder

    Gostei muito do artigo! Espero ter resultados positivos em um curto período de tempo! Obrigada.

  57. Jair Gomes disse:4 jul 2015 às 1:09 pm · Responder

    Obrigado pelas dicas, agora é só aproveitar e se Deus quiser chegarei lá!
    Valeu irmão.

  58. Jaime disse:4 ago 2015 às 9:33 am · Responder

    Eu tenho testado – com sucesso! – a Técnica Pomodoro, que é uma espécie de técnica de fragmentação do tempo, né? Para mim funciona, pois é muito mais fácil me concentrar por apenas 25 minutos do que 2 horas! Hoje tem apps gratuitos que podem ajudar o estudante a aplicar qualquer técnica de concentração em blocos. Temos que usar a tecnologia a nosso favor! Parabéns pelo post!

  59. Sulamita Lopes disse:5 ago 2015 às 10:02 am · Responder

    Olá. Tenho lido muito seus artigos e tenho aprendido muito com eles e achei interessante quando falou que estudou sobre o TDAH e achei pertinente fazer essa pergunta a vc..Sofro de déficit de atenção e desde criança sempre tive notas medianas e crescí com sensação total de incapacidade de aprendizagem. Depois de adulta, não é diferente. Por mais que eu me esforce e dedique horas e horas nos estudos, tenho a sensação que estudei pouco e absolvi menos ainda. A nota nas provas não poderia ser diferente. Sempre medianas. Tenho péssima concentração e me sinto uma lesada mental. Uma pessoa que sofre desse maldito transtorno tem capacidade de algum dia passar em algum concurso que seja? Você conhece alguém que tenha obtido sucesso com um diagnóstico terrível desses?

  60. Maria disse:13 ago 2015 às 4:41 pm · Responder

    Há muito tempo procurava dicas como estas . que são simples e de fácil aplicação. gostei muito e vou coloca-las em prática.

    Muito obrigada !

  61. Yuri Melo disse:22 out 2015 às 1:42 pm · Responder

    Compreendo esse tipo de problema visto inúmeras situações que no decorrer de um dia surgem, nos trazendo sentimentos diversos (alegria, tristeza, preocupação, saudade, raiva, etc…). A verdade é que, por exemplo, na determinação de estudar não poderíamos de forma alguma nos dispersar na execução desta tarefa, mas infelizmente, com o passar dos dias, isso vai ficando cada vez mais difícil. O capitalismo é isso!
    A melhor forma de se concentrar em algo e efetivamente realizá-lo é se esvaziar dessas coisas (não sei como, dê o seu jeito) para que possa obter o resultado pretendido.
    Faça acontecer!!!

  62. Elisa Guedes disse:4 mai 2016 às 12:11 pm · Responder

    Olá Professor,

    Muito obrigada por compartilhar de uma forma tão clara e dedicada seus aprendizados que para nos são ensinamentos, estou tentando fazer faculdade a distância por uma série de fatores que me impedem estar presente em sala de aula ( embora seja a minha preferência). Esta difícil a concentração, mais sei que posso conseguir, preciso somente das ferramentas e delas ja tenho adquirido aqui…. em breve terei o prazer em relatar minha evolução.

    Obrigada,

  63. Adilson disse:19 fev 2017 às 4:14 pm · Responder

    Olá Professor, toda vez q eu começo a ler a apostila, começo a bocejar e ficar com muito sono, mais se me levanto e vou para frente da tv fico até tarde assistindo ou conversar com alguém. Preciso muito passar em um concurso e ja comprei algumas aposilas pra estudar, mais toda vez q começo a estudar acontece isso. Pq sera? E sera q com esse metodo de 20 em 20 min eu conseguirei manter o fóco tenho muita facilidade de distraçao tbm. Não esta sendo fácil pra mim, preciso muito de uma ajuda. Obg..

Menções deste artigo em outros sites:

  1. O que Fazer se não consigo me Concentrar nos Estudos para Concurso

Responder para Elizabeth Corrêa de Lima