Preparação para Concursos e o Prazer em Aprender

Por  •  27 abr 2010  •  Aprendizagem, Como se Preparar  •  27 Comentários
Concursos Públicos Aprendizagem Prazer em aprender como estudar

Um tema de grande relevância e que conta com pouca atenção, principalmente em termos de produção intelectual, consiste na idéia de trabalhar o prazer em aprender no âmbito da preparação para o concurso público. Na realidade, tal importância consiste não apenas em trabalhar o prazer em aprender, mas também identificar a falta do prazer em aprender, bem como as suas conseqüências no processo de busca da aprovação.

Neste sentido, primeiramente, é fundamental reconhecer que muitos candidatos apresentam resistências a determinadas matérias. Por exemplo, não é incomum ouvir de candidatos, que não contam com formação acadêmica na área do Direito, manifestarem tais dificuldades e resistências em relação às matérias jurídicas.

É importante compreender que tal resistência geralmente decorre da percepção de dificuldade em relação a determinada matéria, ou da falta de vontade em estudá-la. Ou seja, aí normalmente reside a fonte da falta do prazer em aprender.

Naturalmente que se esta matéria é classificada como importante para o concurso almejado, o cenário se torna ainda mais complicado. Vale dizer que o conceito de importância da matéria pode decorrer da quantidade de questões passíveis de cobrança no momento da prova, do peso atribuído a estas questões ou da complexidade dos conteúdos cobrados.

No âmbito das ciências voltadas ao estudo do processo de aprendizagem, há um campo do conhecimento denominado matemática emocional, a qual tem por objeto exatamente a análise dos fatores emocionais que interferem nas resistências e dificuldades para o referido aprendizado. Dentre as construções desenvolvidas, destaca-se a noção de que na esfera do domínio afetivo existem valores e crenças que, inegavelmente, acabam por influenciar ou comprometer a aprendizagem. Ou seja, não é preciso se esforçar muito para constatar que há uma íntima relação entre a falta do prazer em aprender – a qual é influenciada por fatores emocionais, e a dificuldade para o aprendizado. Inclusive, existem estudos indicativos que estas limitações podem contar com repercussões até mesmo fisiológicas, causando, por exemplo, dor de cabeça durante os estudos.

Portanto, considerando todas as premissas e ponderações apresentadas, é possível que, em maior ou menor grau – e espero que seja em menor, em relação a alguma ou algumas matérias, você esteja com algumas resistências e limitações quanto ao prazer em aprender. E isto, naturalmente, tende a ser um obstáculo na sua preparação para o concurso público.

Vale salientar que, conforme venho sustentando em textos no Blog, no livro sobre o tema da preparação para concursos públicos e palestras, o referido objetivo precisa ser encarado e compreendido como um empreendimento de natureza cognitiva e intelectual. Isto é, um empreendimento no qual a obra a ser construída consiste na apropriação de um conjunto de informações e conhecimentos passíveis de cobrança no momento da prova. (clique aqui para mais informações sobre o livro Como se Preparar para Concursos com Alto Rendimento e aqui para acessar a Palestra Gratuita sobre Como passar em Concursos)

Assim, de modo a superar a limitação decorrente da falta do prazer em aprender, uma primeira idéia fundamental consiste na identificação da utilidade, importância e sentido do conhecimento estudado. Não há dúvida de que todo e qualquer conhecimento cobrado no edital, em regra, conta com alguma utilidade e importância que vai além da preparação para a prova.

Apenas a título de exemplo, no caso do Direito, aprender Constitucional significa compreender as regras básicas e fundamentais de funcionamento de nossa sociedade. Significa ver no noticiário que o STF está discutindo a legitimidade de um ato do Presidente da República ou a constitucionalidade de uma lei e entender o sentido disto. Significa saber o sentido e os limites do poder de polícia de uma autoridade administrativa que nos aborda. O mesmo vale para outros campos do conhecimento, como a Língua Portuguesa, o Raciocínio Lógico, a Administração Financeira e Orçamentária ou a Contabilidade.

Dessa maneira, não há dúvida de que é possível identificar o sentido e a utilidade no estudo para o concurso público, os quais vão além da prova. E isto geralmente vale para todas as matérias previstas no edital.

Outra atitude importante consiste em procurar sentir e vivenciar o prazer do aprendizado, independente objeto de aprendizagem. Todos nós, enquanto seres humanos, temos estruturas cognitivas voltadas à aprendizagem, inclusive por uma questão de sobrevivência. Existem estudos indicativos de que passamos a ser bípedes por um processo de aprendizagem, pois nem sempre tivemos esta condição. Isto significa que fomos biologicamente concebidos para aprender, sendo que, logicamente, o prazer em aprender é algo mais do que natural. A satisfação com a conquista do conhecimento apropriado é inerente à natureza humana, sendo que sentirmos prazer em aprender determinado conhecimento consiste em algo mais do que natural.

As duas idéias apresentadas também se relacionam com um aspecto estratégico de grande importância para a preparação. Trata-se da preocupação e foco no processo. Ou seja, não sermos refens de uma preparação por um resultado – ainda que tenhamos claro que o nosso objetivo finalístico e principal consiste na aprovação.

Mas a idéia é estarmos focados no processo, na execução do plano, tendo na aprovação uma conseqüência lógica. Vale lembrar que na preparação para o concurso público temos um objetivo mediato e outro imediato. O objetivo mediato consiste na aprovação, ao passo que o objetivo imediato consiste no desenvolvimento de um processo de apropriação do conhecimento eleito como passível de cobrança no momento da prova.

Ou seja, por um lado, é preciso trabalhar com a idéia de que vou estudar apara aprender e sei que este conhecimento a ser aprendido me proporciona prazer, pois sou um ser humano dotado de um equipamento biológico que, naturalmente e filogeneticamente, gera satisfação ao me apropriar de um objeto cognitivo. Além do mais, também é fundamental compreender que este conhecimento tem alguma utilidade na minha vida, inclusive enquanto cidadão.

Por outro lado, outra atitude importante consiste em estar focado no processo. Ou seja, não apenas buscar ter satisfação no aprender, mas também admitir como objetivo o alcance de metas de curto prazo, correspondentes ao cumprimento do que foi estabelecido no âmbito do planejamento de estudo. Para os usuários do TUCTOR, uma atitude importante consiste em estar focado na superação ou alcance dos indicadores de metas de desempenho estabelecidos no sistema.

Concluindo, é preciso que o candidato procure trabalhar o prazer em aprender ao longo da preparação para o concurso. Além do mais, também é preciso estar focado na execução do planejamento, ou seja, no processo. Trabalhando com as referidas noções, a conquista da aprovação passa a consistir numa conseqüência lógica e natural.

Sucesso na busca da aprovação e bom cultivo da satisfação com os estudos!

27 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. ana disse:7 mar 2011 às 4:47 pm · Responder

    Olá Professor!

    Muito bom seu artigo!
    Parabéns!
    E obrigada pela dica mais uma vez!
    Quando eu estiver com minha aprovação nas mãos postarei aqui…
    Cordialmente, Ana.

    • Rogerio Neiva disse:7 mar 2011 às 7:20 pm · Responder

      Cara Ana, estarei aguardando as boas notícias! Agora tem um compromisso comigo.
      Estou na torcida!
      Abcs!

  2. Paulo Henrique Rodrigues Ribeiro disse:26 mai 2011 às 2:29 pm · Responder

    Olá professor, aprecio muito suas materias sobre o processo de aprendizagem. Gostaria de saber como trabalhar a paciencia para poder esperar o tempo necessario para adquirir o conhecimento da materia do concurso almejado.

    Esse é meu problema, ou problema que eu tenho não consigo gravar a materia se não entender como funciona.

    Eu ja fui mecanico talvez seja por isso só gravo quando entendo como funciona.

    Grande abraço

    desde já agradeço pela atenção dispensada.

    att.
    Paulo

    • Rogerio Neiva disse:26 mai 2011 às 2:31 pm · Responder

      Caro Paulo, sugiro que leia o texto sobre os Estilos de Aprendizagem e a Preparação para Concursos, bem como o texto sobre a Preparação para Concursos e Foco no Processo.
      Abcs!

  3. Kaylla Oliveira disse:2 jun 2011 às 1:00 pm · Responder

    Olá, professor! Muito obrigado pelo maravilhoso texto!
    Entrei agora no universo do concurso público, e esse texto irá me ajudar a obter sucesso.

  4. Glauber Britto disse:6 jun 2011 às 9:34 pm · Responder

    Ola professor, muito obrigado por mais um artigo. Sua colaboração no meu processo de preparação está sendo substancial!

    Mais uma vez agradeço,

    Glauber.

  5. Pryscilla disse:8 jun 2011 às 3:24 pm · Responder

    Boa tarde!
    Professor, parabens! Ótimo artigo, como atmbém os demais nao deixam a desejar! Todos muito bons!
    Parabens!
    E obrigada!

  6. Hudson Ferreira disse:17 out 2011 às 2:25 pm · Responder

    Meus parábens professor Rogerio Neiva
    li umas 3 matérias aqui e achei sensacional, voce explica muito bem
    que é preciso gostar do que está aprendendo para ajudar a facilitar na lógica que a pessoa busca que é evidentemente a aprovação.

    Sem mais, obrigado pelo excelente texto professor.

  7. Ligia Ayonne disse:27 out 2011 às 11:23 pm · Responder

    Boa noite, professor.

    Excelente seus posts. É de grande valia todos nós que almejamos um lugar no serviço público. Parabens pelo seu trabalho, por sua humildade, por separar uma parte do seu tempo para ajudar milhares de pessoas ‘desconhecidas’. Obgrigado.

  8. Francis disse:28 nov 2011 às 5:55 pm · Responder

    Olá, Professor Rogério Neiva.
    Estou no terceiro concurso, comprei seu livro”Concursos Públicos e exames oficiais”, mas devido à falta de tempo não consegui nem terminar a leitura, o pouco que li tentei preparar uma grade de estudos diária, só que não consegui cumpri-la pois estava estudando conforme a minha limitação, (só trabalho dois dias na semana), Estudei o que pude e como pude, mas advinha o resultado? Não me sai bem na administração do tempo, o que faço para resolver? pois levo muito tempo na resolução das questôes?
    Tenho aprendido bastante sempre que leio seus artigos! muito obrigada!

  9. Thiago Alves Bessa disse:7 jun 2012 às 9:37 pm · Responder

    Gostei do texto professor!!
    Me indentifiquei com as dificuldades apresentadas na hora de estudar. Sou do tipo que entra em atrito consigo mesmo quando percebe que nao consegue evoluir nos estudos. Fico com muita depressão. Um sentimento de inferioridade. mas nao desisto de estudar! Quando estou meio depressivo direciono minha energia em algumas atividades que me deixam mais relaxado como ir para a academia por exemplo! acredito que tenho que tentar direcionar o prazer que tenho em fazer atividade fisica para a atividade intelectual (estudo) disciplinando a minha mente! acho que é possivel! vou tentar! obrigado.

    • Rogerio Neiva disse:8 jun 2012 às 12:49 pm · Responder

      Caro Thiago, a tomada de consciência, bem como a compreensão e aceitação da realidade é o primeiro passo importante.
      Sucesso!
      Abcs!

  10. Alessandra Azevedo disse:18 jun 2012 às 2:13 am · Responder

    Professor, muito obrigada por esse texto.
    Vou fazer a prova do Tst para técnico administrativo e confesso que pelo fato de ser o primeiro concurso eu me senti “incapaz”, mas agora que estou estudando e me dedicando vejo que é possível e ler o seu texto me fez refletir, ter mais vontade e dedicação a cada matéria.
    Amanhã começa as aulas no cursinho e como a prova é em setembro e não tenho um longo tempo vejo que a vontade, dedicação e o prazer nos estudos são essenciais. Nada de desespero e foco no processo…!

  11. Alberto disse:26 jun 2012 às 11:52 pm · Responder

    Prezado Professor Rogério Neiva: Que bom ter pessoas como o senhor para nos animar por meio de orientações fundamentadas não só em belas teorias, mas na vivência e no amor ao próximo. Eu, aos 54 anos, estou sim motivado para me lançar num novo projeto de vida, que é a de passar no concurso público. E agradeço de coração todas as dicas e conselhos. Deus o abençoe!
    Alberto.

    • Rogerio Neiva disse:28 jun 2012 às 11:43 pm · Responder

      Obrigado Alberto! Abcs!!!

  12. Elisa disse:27 nov 2012 às 4:30 pm · Responder

    Professor, o senhor acha importante ter o dia disponível sem que o estudante trabalhe? Tenho essa dúvida referente a carga horária de estudos pois sempre leio que se o candidato a vaga não trabalhar, se dedicar apenas ao estudo a aprovação é mais fácil que seja aprovado.
    Eu trabalho e me preparo para a prova da DPE/RS, tenho estudado 4 horas por dia conciliando o máximo possível com minhas atividades, alguma dica que possa me dar?

    Abraço

  13. Rodolfo disse:26 jan 2013 às 9:16 am · Responder

    Ótimo artigo!

  14. Elba disse:20 mar 2013 às 1:51 am · Responder

    Olá Professor,
    São 2 da manha. Comecei a estudar 7.03 mas eu fui bombardeada pela falta de concentração e isso já tem 12 dias, mesmo mudando de matéria, colando joias e carros na parede…tentando me agarrar a qualquer incentivo..
    Mesmo sabendo dos benefícios do resultado – aprovação – é em alguns momentos da vida difícil se concentrar. Bom é saber que não se esta só e que existem pessoas tentando controlar sua ansiedade e desatençao…e que em qualquer hora do dia, havendo interesse e procurando podemos encontrar orientação. Orientação e direcionamento…isso é fundamental!

  15. luan disse:16 out 2015 às 12:45 pm · Responder

    too good ! very good ! so good ! Valeu cara. Obrigado por nos ajudar.

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Concurso Público | Ataque à falta de concentração! « GEN Jurídico
  2. Concursos públicos e como trabalhar o prazer em aprender | Concursos Públicos Prof Rogerio Neiva
  3. Concentração e Motivação nos Estudos para Concursos Públicos
  4. Preguiça nos Estudos para Concursos Públicos Como Evitar e Combater
  5. Preguiça nos estudos: como evitar e combater? « GEN Jurídico
  6. Blog Exame de Ordem » Como combater a falta de concentração nos estudos

Deixe um Cometário