Dê Atenção à Atenção!

Por  •  30 ago 2011  •  Aprendizagem, Como se Preparar  •  16 Comentários
concursos públicos concentração atenção como estudar memória memorização exame oab

Você está atento ao seu nível de atenção enquanto estuda? Você dá atenção à atenção? Pois bem, seria lógico e natural imaginar que sem a devida atenção e concentração a eficácia dos estudos estaria comprometida. Porém, o presente aspecto interfere diretamente inclusive no processo de formação de memórias.

Segundo Daniel L. Schacter, professor do Departamento de Psicologia da Universidade de Harvard,  pesquisador e especialista no tema da formação de memórias, a distração, que se confunde com o comprometimento da atenção, é considerada o que chama de “pecado da memória”. E para esta compreensão, indispensável para quem vem empreendendo esforços no sentido da preparação para concursos públicos e exames, alguns fundamentos precisam ser considerados.

Primeiramente, é preciso que se entenda que, do ponto de vista do processo de formação e manutenção, podemos classificar as memórias em memória de trabalho, memória de curto prazo e memória de longo prazo. (IZQUIERDO, Iván, Memória. Porto Alegre: Artmed, 2002, p. 16/17). Naturalmente que o candidato a concurso público e exames está sempre em busca da formação da última modalidade mencionada (memória de longo prazo), ainda que também se possa trabalhar com as memórias de curto prazo.

O fato é que a memória de curto prazo não consiste numa etapa anterior à memória de longo prazo, mas em processo paralelo. Independente desta compreensão, tudo começa na memória de trabalho, a qual consiste num verdadeiro gerenciador da realidade. A título de exemplo, a memória de trabalho envolve a capacidade de, ao entrarmos num elevador e apertar o botão para o térreo, chegando neste destino, nos lembrar que temos que sair. (clique aqui para ver alguns vídeos sobre Orientações para os Estudos e Formação de Memórias).

E aí é que entra a preocupação com o nível de atenção e concentração, enquanto mecanismo relevante para a formação das memórias de longo prazo.

Antes porém, vale lembrar que, conforme explicado no último livro que publiquei sobre o tema da metapreparação para concursos e exames (como se preparar), “temos funções cognitivas consideradas primárias e outras secundárias. As funções primárias, necessárias às secundárias, correspondem à sensação, percepção, atenção e memória. Já as secundárias, mais elaboradas e dependentes das primárias, consistem na linguagem e aprendizagem”. (Como se Preparar para Concursos com Alto rendimento, Ed. Método, pág , apud PANTANO, Telma. Neurociência aplicada à aprendizagem. São Paulo: Pulso, 2009, pág 23).

Também cabe lembrar que a atenção e concentração envolvem uma lógica de seletividade de estímulos. (clique aqui para ler Ataque à Falta de Concentração).

A íntima relação entre o nível de atenção e a formação de memórias, em termos de processos neurobiológicos, tem como um de seus centros funcionais uma área do cérebro chamada córtex pré-frontal. Quando a atuação desta área falha, temos uma falha de atenção e teremos uma precariedade, ou também falha, na formação de memórias.

Nas ocasiões nas quais passo por situações de estar conversando com alguém e, por algum motivo qualquer como interrupções, não me lembro do que estava falando ou ia dizer, inclusive ao desenvolver determinado tema em sala de aula, costumo pedir desculpas afirmando que houve uma falha na atuação do meu córtex pré-frontal esquerdo, o que algumas vezes gera incompreensões ou risadas!

E o que tudo isto tem de relação com os seus estudos?

Primeiramente, como sempre venho sustentando, é importante tomar consciência dos processos relacionados à apropriação intelectual de informações e conhecimentos. Como tenho dito e acredito, a verdade nos liberta! Principalmente com a quantidade de conteúdo produzido de forma puramente intuitiva e sem fundamento neste universo dos concursos públicos.

Neste sentido, é fundamental estar monitorando e tomar cuidado com o nível de atenção e concentração mobilizado ao estudar.

Cabe destacar que esta preocupação tem relevância ainda maior e determinante para a formação das memórias semânticas, as quais envolvem o armazenamento de informações e conhecimentos. Já as memórias procedurais, de caráter psicomotoras, como por exemplo os movimentos que fazemos para dirigir o carro, contam com outros mecanismos. Por isto que conseguimos dirigir o carro mesmo estando distraído, ou seja, no piloto automático.

Porém, estudar no piloto automático não terá o mesmo efeito, vez que a atuação do córtex pré-frontal é fundamental para a formação de memórias semânticas.

Tendo o devido cuidado com a atenção e concentração, enquanto condição para a eficácia da apropriação da informação estudada, é preciso monitorar inclusive o nível de desgaste e comprometimento num determinado turno de estudos. Ou seja, se chegar naquele ponto no qual está estudando há algumas horas e percebe que sua capacidade de concentração está comprometida, não tente brigar muito com suas estruturas neurocognitivas. Pode ser tempo jogado fora. Se o seu córtex pré-frontal estiver comprometido, provavelmente o processo de apropriação intelectual das informações estudadas, enquanto formação de memórias de longo prazo tenderá a ser afetado.

Isto exige um mínimo de bom senso, no sentido de que não significa não se esforçar minimamente, mas também, por outro lado, não extrapolar o limite do razoável.

Outra compreensão importante é de que a eficácia da apropriação intelectual do conhecimento, o que alguns chamam de qualidade dos estudos, pode ser diretamente relacionado ao nível de atenção. E nisto tem relevância a tese que venho sustentando correspondente à relação entre a consistência do processo cognitivo e eficácia da aprendizagem. (clique aqui para ler Tempo x Eficiência dos Estudos).

Ainda enquanto desdobramento de todas as premissas e conceitos até aqui articulados, outro cuidado importante envolve aquilo que venho chamando de Armadilhas da Web. Ou seja, a Internet nos oferece uma série de estímulos, os quais acabam por deslocar a nossa atenção daquilo que estamos estudando (clique aqui para ler Preparação para Concursos e as Armadilhas da Web).

Portanto, procure ter cuidado e monitorar os seus níveis de atenção e concentração! Tente observar o comprometimento das funções envolvidas nesta atividade. Compreenda a sua importância e repercussões.

Dê atenção à atenção!

16 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Romildo disse:30 ago 2011 às 1:29 pm · Responder

    ÓTIMAS DICAS, TENHO APRENDIDO MUITO.

  2. Ronaldo Silva disse:30 ago 2011 às 2:39 pm · Responder

    Caro Dr Neiva,
    Muito obrigado por mais este texto. Mais informações com fundamentos para guiar nossos camihnos de concurseiros!
    Agora sei como funciona mais uma das minhas operações mentais.
    Vou cuidar bem do meu cortex pre-frontal
    Valeu!!!!
    Ronaldo

  3. Alberto disse:30 ago 2011 às 2:40 pm · Responder

    Parece que o cara da foto não está com o cortex pré-frontal dele funcionando muito bem!!!

  4. Patrícia disse:30 ago 2011 às 2:41 pm · Responder

    Oi Prof!
    Curiosamente, já tive esta sensação de achar que não tinhe memorizado corretamente por ão ter tanta atenção na hora de estudar. Mas na verdade isto não estava claro e não sabia o que tinha acontecido.
    Agora sei um pouco mais como funcionamos!
    Paty

  5. Rodrigo Rodrigues Del Papa disse:30 ago 2011 às 7:34 pm · Responder

    O Grande estrategista Comandante Sun Tzu já dizia: “Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas…. Se você se conhece mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas…” conhecendo os segredos de nossa mente e do processo de aprendizagem a nossa caminhada se torna a verdadeira razão da jornada…e chegar a uma aprovação se torna uma consequência lógica… EXCELENTE TEXTO…Vale a pena ler e reler…

  6. Thiago disse:2 set 2011 às 2:17 pm · Responder

    Ok. Mas o que fazer quando não se consegue concentrar? Eu não consigo ler algo por mais de 10 minutos sem ficar alguns outros minutos voando.

    • Rogerio Neiva disse:2 set 2011 às 2:44 pm · Responder

      Caro Thiago,
      Leia o texto “Ataque á Falta de Concentração”, conforme sugerido e me mande um email para rogerio@tuctor.com, de modo que possamos discutir sua situação de forma mais específica e individualizada.
      Gostaria de saber detalhes do que efetivamente acontece quando você estuda, o que faz antes de estudar, como se desloca para o local de estudo e onde estuda, como define o que vai estudar, como foi seus processo de aprendizagem ate aqui, se percebe este fenômenos com todas as matérias e em todos os horários de estudos e vários fatores a serem avaliados.
      Fico no aguardo.
      Abcs!

    • JOSE AFFONSO disse:1 out 2011 às 12:22 pm · Responder

      para provavel ou provaveis respostas ha necessidade de outras indagaçoes que voce podera fazer a si mesmo e caso tiver pontos que necessitem de melhoria procurar ajuda de um neurologista.
      entre os pontos a ser pesq1uisado, o primeiro deles, como e seu sono
      tranquilo, horas necessarias, horario pontual, levanta se disposta (o),
      2. seu peso corporal esta dentro dos parametros considerados bons
      3. e fumante
      4. sente sono ao ler mais que 15 minutos
      5. dirigindo sente alguma vez sono
      6. a respiraçao e normal sem problemas nariz, garganta
      7 alguem fala que voce ronca quando dorme
      espero ter colaborado para sua melhora no estudo e principalmente na saude.

  7. Ariadne Durante disse:30 set 2011 às 9:44 pm · Responder

    Olá Professor!!!

    Mais um texto excelente! Muito bom!

    Eu presto atenção se estou prestando atenção realmente hehe, mas, percebo que muitas vezes também fico voando, e assim o estudo não rende como pretendido.

    Vou aproveitar e ler o texto que o Sr. recomendou ao colega “Ataque à Falta de Atenção”, com certeza também será muito útil para mim.

    Abraço!

  8. Eliane disse:19 out 2011 às 11:20 pm · Responder

    Observei uma atitude diferente nos meus estudos de umas semanas para cá. Comecei a me cobrar mais na aprendizagem como se eu fosse outra pessoa, ou seja, brigando comigo mesma. O resultado foi uma maior atençao nos estudos e uma maior carga horária sem cansaço. Prometendo a mim mesma uma recompensa futura se me dedicar agora. E o incrível é que tem dado certo, mudei muito e estou mais confiante de que conseguirei atingir um resultado positivo.

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Blog Exame de Ordem » Dê Atenção à Atenção!
  2. Concurso Público | Dê Atenção à Atenção! « GEN Jurídico
  3. Concursos públicos e respeito aos limites de estudos | Concursos Públicos Prof Rogerio Neiva
  4. Blog Exame de Ordem » Estudar é internalizar informações?
  5. Diagnóstico da Reprovação, por Rogerio Neiva « GEN Jurídico
  6. Diagnosticando a reprovação no Exame de Ordem | Blog - Só mais um site WordPress

Deixe um Cometário