Ataque à Falta de Concentração!

Por  •  26 abr 2011  •  Aprendizagem, Como se Preparar  •  102 Comentários
concursos públicos concentração estudos como se concentrar como se preparar

Muitas estratégias terapêuticas são baseadas na compreensão dos fenômenos psicologicamente vivenciados, tendo na tomada de consciência um caminho importante para a neutralização das situações emocionalmente fortes que se busca combater. Na psicologia do comportamento adota-se a lógica da identificação do estímulo positivo ou negativo (S+/-), bem como da reação (R+/-) conseqüente, principalmente para tentar promover a desconstrução da negatividade de estímulos negativos (S-), causadores de reações negativas (R-). A psicanálise, também valorizando a tomada de consciência e compreensão da realidade, atribui um papel muito importante à compreensão das informações inconscientes.

Na aprendizagem, principalmente voltada à preparação para concursos públicos e exames, a compreensão e a tomada de consciência do processo de apropriação intelectual do conhecimento estudado não é menos importante. E esta lógica vale inclusive para atacar a falta de concentração nos estudos.

Assim, diante de situações de dificuldades de concentração, o primeiro passo consiste em entender e não ignorar o que ocorre quando somos atingidos por uma “rajada”, “ataque” ou “onda” de desconcentração ao longo de um turno de estudos, ou mesmo quando isto nos impede de começar a estudar. Ou seja, me refiro às situações nas quais temos uma enorme dificuldade para nos concentrar, tendo aquela desconfortável situação de que ficamos empacados e não avançamos. Você costuma passar por isto?

Diante deste cenário, duas atitudes são fundamentais: (1) entender a dinâmica do processo em andamento, isto é, o que está acontecendo; (2) entender os fatores ou causas determinantes para a situação em andamento.

Quanto à dinâmica do processo, se estamos tendo dificuldades para nos concentrar nos  estudos, é porque há um estímulo que está tendo mais relevância do que aquele que gostaríamos que tivesse, sendo que o estímulo preferido corresponde à informação ou objeto de conhecimento a ser estudado. Daí é importante entender que a concentração consiste numa função cognitiva primária, que corresponde a uma lógica de seletividade de estímulos.

Portanto, concentrar-se significa valorizar alguns estímulos em detrimento de outros. Se quero me concentrar nos estudos, preciso desconsiderar todos os outros estímulos ambientais, tidos por exógenos, como sons e características do local onde estamos, e não ambientais, considerados endógenos, estes envolvendo fatos e lembranças que podem vir à nossa mente naquele momento de estudos.

Se não nos concentramos é porque algo “rouba” a nossa atenção, algo este que não é aquele estímulo que gostaríamos que prendesse a nossa atenção. Este é o processo em andamento, acerca do qual precisamos tomar consciência e compreender.

Superada a compreensão da dinâmica do processo, é preciso entender o que o determina. Ou seja, se estamos passando por uma situação de dificuldade de concentração, o que está por trás disto? Temos duas possibilidades, as quais podem estar ocorrendo de forma concomitante ou não: (1) o “estímulo-ladão”, que está tomando a nossa atenção, tem relevância significativa, maior do que o estímulo principal-preferencial que pretendemos valorizar, correspondente ao conhecimento a ser estudado; (2) mesmo que o “estímulo-ladão” não tenha tanta relevância, não estamos atribuindo a relevância devida ao estímulo-principal-preferencial, ante a nossa falta de interesse.

Costumo dizer que para um fanático por seu time de futebol, numa final de campeonato na qual o time está em campo, sendo a partida o estímulo principal, jamais ocorrerá a segunda hipótese mencionada. Digo isto para provar que o interesse é determinante a atribuição de relevância ao estímulo.

Mas muito bem, agora você já sabe o que acontece quando está tentando estudar e não consegue se concentrar. Porém, esta tomada de consciência, por si só, resolve o problema, nos fazendo ficar concentrados? Obviamente que não! Até porque o diagnóstico não se confunde com o prognóstico. Então daí você pode se perguntar: mas o que fazer? Afinal, qual é o prognóstico?

Seguramente, tendo a devida compreensão, você já pode encontrar estratégias que lhe ajude. Inclusive se tiver alguma sugestão deixe em forma de comentário no final do texto. Mas vou pontuar algumas iniciativas que podem ajudar, identificadas a partir da minha vivencia empírica nos estudos, principalmente como candidato a concursos público, bem como por meio da pesquisa psicopedagógica-cognitiva:

1 – no caso da falta de interesse no estímulo principal, ou seja, na matéria a ser estudada, tente identificar o que há de útil neste conhecimento. Seguramente, existe alguma utilidade que vai além do edital. Pense no que pode ganhar ao saber daquela informação. Ainda neste sentido, procure trabalhar o prazer em aprender (clique aqui para ver o texto Preparação para Concursos e o Prazer em Aprender);

2 – seja minimamente flexível! Isto é, se está muito difícil se concentrar naquela matéria a ser estudada por determinada fonte, passe para outra matéria ou fonte, faça alguns exercícios, faça um resumo, esquema ou mapa mental da matéria estudada anteriormente, ou seja, faça uma revisão do que já estudou, inclusive enquanto estratégia para retomar o ritmo;

3 – compreenda de forma fragmentada o que irá estudar, do tipo “agora minha meta é estudar e entender este parágrafo”, ou “esta página, este item, este capítulo, este tema…”. Encare um, para depois passar ao outro. Avance por partes, esqueça o todo e estude  o que tiver que estudar de forma fragmentada. E não deixe de ler o texto a Fragmentação do Plano de Estudos (clique aqui para ler o texto Repercussões Emocionais da Fragmentação do Plano de Estudos);

4 – tenha força de vontade! Esta colocação pode parecer autoajuda enlatada e superficial para concursos, mas a questão é como fazer para ter força de vontade? Neste sentido, é preciso que entenda que você conta com estruturas bio-cognitivas capazes de selecionar estímulos de forma voluntária, ou seja, estou dizendo para acreditar que é capaz não por uma questão de fé, mas pelo fato de que, neuro-bio-fisiologicamente, você tem um equipamento cognitivo que lhe permite isto. Repito: você tem um cérebro e estruturas cognitivas que lhe permite selecionar e descartar estímulos relevantes. Você pode! Isto é uma afirmação racional e científica! Portanto, lute! Lute com o que você tem! Lembre-se que na partida da final do campeonato, na qual seu time está jogando, você consegue selecionar o estímulo principal. Portanto, também pode fazer isto ao estudar!

5 – trabalhe com a respiração; pare por alguns minutos, não mais do que 5, feche os olhos e respire de forma profunda e pausada, da maneira mais profunda e pausada que puder;

Além destas sugestões, compreendendo e tendo consciência do processo relacionado à falta de concentração, tente identificar outras estratégias adequadas ao seu perfil. E reitero o pedido para deixar as sugestões em forma de comentário!

Alerto ainda que, para as pessoas diagnosticadas como portadoras de TDAH ou DDA, existem outros caminhos a serem adotados, inclusive com intervenção medicamentosa. Mas é preciso buscar a atuação de profissionais autorizados, tanto para o diagnóstico, quanto para o prognóstico, intervenção e principalmente o uso da medicação. E se não tem as referidas patologias, não se iluda com o uso da ritalina (clique aqui para ler texto sobre a Ilusão da Ritalina).

Por fim, bom combate às rajadas de desconcentração e bom estudo!

102 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Saskia disse:26 abr 2011 às 10:52 am · Responder

    Realmente precisamos tomar consciência daquilo que rouba nossa atenção e geralmente paro tudo e vou tentar resolver o problema que está me atrapalhando, os tais estímulos endógenos, ou pelo menos chegar mais próximo da solução possível, e se a solução não estiver ao meu alcance, dai realmente o jeito é afastar esse pensamento e estimular a mente no sentido: Tenho que estudar, porque outras coisas também importantes dependem disso. Funciona mesmo, estudar um tema mais agradável.

    • Flávia disse:14 out 2012 às 11:30 pm · Responder

      Eu não consegui me concentrar nem para ler esse artigo. :(

      • Fernanda disse:8 nov 2012 às 4:59 pm · Responder

        Nossa entre ler o artigo tb também pensei em mil coisas, lembrei de outras mil e fiz varias outra…por fim acabo lendo até o final mas mal sei metade do que foi escrito. :( ainda nao consegui esse dom da concentração e atenção para estudos!

      • Eguidemos disse:23 jul 2013 às 9:14 pm · Responder

        Tamo junto, eu pulei direto para os comentários

      • Alex disse:18 jan 2014 às 8:01 am · Responder

        Eu também! Ao ler o artigo aqui em SP, em poucos segundos viajei até a Europa, passei pela muralha da China, fiz test drive num Camaro Amarelo e, ao terminar a leitura, não sabia nem meu nome direito.
        ….é por isso que devemos atentar pelo método exposto….precisamos de ajuda.

  2. Carolina Paiva disse:26 abr 2011 às 11:01 am · Responder

    Prof, adorei este texto!!!
    Muito bom mesmo, mudou a minha vida sobre como estudar.
    Obrigado por mais esta!
    O Sr sempre me surpreende com seus textos e colocações fundamentadas.
    Realmente dá para perceber que é coisa de quem viveu e vive os estudos para o concurso e pesquisa o tema de maneira científica. Definitivamente, isto é ciência dos concursos, não é o tal achismo!!!
    Obrigada!!!
    Bjs!

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:06 pm · Responder

      Prezada Carolina, obrigado pelo incentivo!
      Abcs!

  3. Alex Guedes disse:26 abr 2011 às 1:23 pm · Responder

    Professor o texto é muito bom, pois, tenho um grupo de estudos que está se preparando para a próxima prova da OAB. As vezes ficamos desligados ,sem prestar atenção na matéria que esta sendo discutida/estudada e é preciso alguém chamar a atenção do outro para que se concentre. Para finalizar é preciso manter o foco para uma futura aprovação seja em concurso ou exame da OAB. vou levar o texto para todos. Grande abraço. Sucesso.

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:06 pm · Responder

      Prezado Alex, obrigado por feedback e incentivo!
      Abcs!

  4. ARthur Conde EWert disse:26 abr 2011 às 1:27 pm · Responder

    Professor… tenho TDAH diagnosticada…. estava tomando um remédio (que não é ritalina 0 chama-se Dafforin) mas não adiantou nada….e por isso parei…
    fiz um mapeamento cerebral e foi constatado tal déficit…

    direto me pego “viajando” na hora que estou estudando…

    o que o sr. recomenda???

    abraços…

    • Coragem disse:26 abr 2011 às 2:38 pm · Responder

      Se vc percebeu que começou a” viajar na maionese” durante o estudo,é so continuar de onde parou,pense no seu objetivo e que para atingí-lo depende muito mais do seu esforço.

      “Eu não posso mudar a direção do vento, mas eu posso ajustar as minhas velas para sempre alcançar o meu destino.”
      ( Jimmy Dean )

      Boa Sorte

    • Sinceridade disse:26 abr 2011 às 2:42 pm · Responder

      Se vc percebe que “viaja na maionese ” em algum momento durante o estudo ,é so continuar de onde parou.Pense no seu objetivo e que para atingí-lo é preciso disciplina.

      “Eu não posso mudar a direção do vento, mas eu posso ajustar as minhas velas para sempre alcançar o meu destino.”
      ( Jimmy Dean )

      sorte e sucesso!

      • Edivan Miranda disse:2 jun 2011 às 12:03 pm · Responder

        Prezados,

        Eu sempre faço o seguinte quando vem a desconcentração:

        1) tento orar (pra quem não é muito religioso) pode ser um pai nosso mesmo, me acalma muito e, lógico, durante a oração faço o exercício da respiração do texto e viagens mentais do tipo: tudo de bom que terei para minha familia após a aprovação, não só coisa materiais.

        2) fingo que a partir daquele momento preciso fazer um resumo daquela parte para escrever um artigo ou dar uma aula na próxima semana.

        3) E, por fim, faço este exercício do quadrinho da Professora Marisa A. Fortes, disponível no link abaixo:

        Edivan Miranda

        • Anne disse:15 set 2011 às 11:16 am · Responder

          Eu faço quem nem o Edivan, trabalho a espiritualidade antes de estudar, utilizo a meditação tibetana(pode ser a cristã também) para poder tranquilizar a mente. Quem não for adepto, eu sugiro que trabalhe a respiração, inspire e respire no mínimo 7 vezes, já ajuda a relaxar.

    • Rogerio Neiva disse:9 fev 2012 às 3:28 pm · Responder

      Arthur, me mande um email em rogerio@tuctor.com, pois precisamos conversar em detalhes sobre perspectivas de intervenção e prognóstico
      Abcs!

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:10 pm · Responder

      Caro Arthur, se há o diagnóstico, talvez seja o caso de procurar mais de um profissional para avaliar a intervenção farmacológica mais adequada.
      Mas de fato, há estudos que indicam que no caso da ritalina não há eficácia em 25% dos casos.
      Acho que você pode tentar trabalhar também as condições ambientais, bem como as exógenas e endógenas. Ou seja, vc, mais do que outros, precisa se preocupar com a rotina, o ambiente e as condições em que vai estudar. Pense naquele que seria o cenário mais ideal: horário, local, ambientação, deslocamento e até vestimenta. Tente construir ago ao menos próximo disto e impor uma rotina.
      Espero que estas considerações ajudem.
      Abcs!

  5. Caroline Cortez disse:26 abr 2011 às 1:35 pm · Responder

    Olá professor,

    O texto está ótimo, parabéns.
    Gostaria de compartilhar que para bloquear os estímulos externos e que desconcentram passei a estudar ouvindo música clássica. Isso ajuda a amenizar outros sons que possam me atrapalhar. É interessante destacar, também, que a música clássica diminui a frequência cerebral para Alfa, ou seja, próximo da frequência de meditação o que ajuda, e muito, para a concentração.
    Quanto aos casos de TDAH e DDA podem ser diagnosticados pela avaliação neuropsicológica ou até mesmo o psicodiagnótico, realizada por neuropsicólogos. Eu mesma fiz uma avaliação numa clínica. Para mim isso tudo tem sido muito bom. Estou conseguindo grandes avanços. Está valendo muito a pena!!!!
    Obrigada!

    • Marilda disse:26 abr 2011 às 11:11 pm · Responder

      seus textos sao fantasticos. Eu sou sua fa de carteirinha .Vc e simplesmente o maximo Professor!

    • Marcel Antonio Rodrigues disse:28 abr 2011 às 10:38 am · Responder

      Quais músicas clássicas vc escuta quando estuda…MANDE UMA DICA OU UM CD PARA BAIXAR!!! OBRIGADO =D

      • thaty disse:26 mai 2011 às 7:10 pm · Responder

        Caro colega

        gosto de Serenade de Schubert. http://www.youtube.com/watch?v=JtA9Js-22ko

        me concentro ao ouvir a musica e só ela no repet. Chega uma hr que nao presto atenção em mais nada a nao ser no texto. Ouço baixo com fone de ouvido de boa qualidade. Tb gosto de clair de lune de Debusse para estudar tributario…rs

        Ahh dizem que Serenade é a musica do Arcanjo Jofiel, o arcanjo responsavel pelas ideias. Isso acaba me dando mais Animo para estudos (informação boboca, mas que funciona para mim).

        Abç e bom estudo colega

    • marinalva dias rodrigues disse:9 jul 2012 às 3:04 pm · Responder

      obrigado

    • marinalva dias rodrigues disse:9 jul 2012 às 3:08 pm · Responder

      obrigado por estas informação como fazer para se concentrar pois o mais importante é a quilo nos quais traz beneficio para nossa vida

  6. Larissa disse:26 abr 2011 às 4:50 pm · Responder

    Excelente!!

  7. Francesco Pereira disse:26 abr 2011 às 4:57 pm · Responder

    Olá professor,

    Seu texto e primoroso.
    No que tange a dica de respiração acredito ser uma das mais eficazes.

    Minha sugestão é:
    Quando concentração estiver indo embora leia em voz alta, outra maneira e ler pensando que outra pessoa está lendo para você.

    Sei lá talvez seja bobeira, mas é como o professor diz no texto cada um terá que descobrir suas limitações e criar estratégias.

    Professor, obrigado pelo texto.

  8. Glauber Henrique disse:26 abr 2011 às 10:32 pm · Responder

    Poxa galera será que tenho essas coisas ai??? rsrsrsrsrsrsrs
    To me matando pra passar nessa OAB, mas coisas alheias surgem bem na hora dos estudos, por mais que eu tente e as vezes leio e nem lembro mais o que li nem se eu me esforçar, tipo leitura deletada, não entrou nada na cachola.
    E outra coisa também que acho interessante, é que estudo bastante pra prova, compreendo a matéria, ae vou pra prova no outro dia não sei mais o que passei muito tempo estudando, treinando etc.
    Será que pela analise superficial dos casos acima posso ter essas doenças ae DDA ou TDAH professor??
    E mais agradeço ao Professor por ajudar-nos, pois diante de tantos bombardeios prejudiciais a nossa vontade de ter uma profissão que estamos mesmo sobrecarregados e desanimados mentalmente que aparece coisas quem nem sonhavamos que existia, desabafo de um prestador da prova da OAB/SP.
    Abraços, continue esse trabalho!!

  9. Iceman disse:26 abr 2011 às 11:34 pm · Responder

    Post muito bom mesmo.
    Como forma de contribuição, compartilho algumas descobertas.
    A maioria das pessoas (inclusive eu) gasta tempo demais se auto-flagelando pela ausência do rendimento esperado.
    Uns optam pela auto-comiseração, outros optam pela auto-depreciação, mas todos os que levam a sério a preparação para concurso público acabam se martirizando de uma forma ou de outra quando não conseguem estudar pelo tempo almejado, com qualidade e dedicação.
    Esse comportamento é contraprodutivo, pois muito tempo e muita energia são direcionados para a coisa errada.
    O segredo não é simplesmente ignorar, mas investigar e internalizar o que é importante.

    Aprendi um exercício bastante interessante, baseados nos conceitos de auto-sugestão, desprogramação e reprogramação mental e, lendo este post, achei que tem tudo a ver com o assunto, especialmente o item ’4′.

    Qdo acontecer esse tipo de coisa, ao invés de pensar no que já aconteceu e não tem mais volta, direcione suas energias para algo produtivo, ou seja, pare de ficar pensando: “deveria ter estudado mais”; “deveria ter me dedicado mais”; “deveria ter um rendimento melhor”; ou “não adianta, eu sou burro mesmo”; “nunca vou conseguir passar em concurso” etc.

    Invista seu tempo e energia pensando e refletindo sobre as vantagens de alcançar seu objetivo, associando essas vantagens à dedicação, tempo e rendimento do estudo. Pense também nas desvantagens de não ser aprovado, associando essas desvantagens à falta de rendimento etc.

    Isso pode parecer meio inútil, mas com o tempo, havendo dedicação suficiente (nada q vá tomar mto do seu tempo ou subtrair tempo de estudo, afinal de contas, vc já acaba gastando ele com pensamentos negativos mesmo), vai internalizar os conceitos, ou seja, tanto as vantagens qto as desvantagens e suas respectivas associações passarão do plano consciente para o plano inconsciente e, qdo isso acontecer, se tornará um pouco mais fácil solucionar o problema.

    Pense que já que é p gastar tempo e energia, ao menos direcione o esforço para o melhor alvo possível.

    Outra estratégia bacana p romper o ciclo vicioso é associar o comportamento a algo desagradável (o q tb requer mta força de vontade).

    Geralmente qdo não conseguimos estudar, acabamos fazendo algo q consideramos mais agradável, como comer, tomar banho, ver tv, dormir etc. Como essas coisas nos são agradáveis, quem vai vencer sempre? Nosso inconsciente nos direcionará para qual atividade?

    Para mudar, associe o comportamento (no caso a ausência dele, q é deixar de estudar) com uma atividade desagradável, por exemplo, adote o compromisso de ir lavar o carro, limpar a casa, lavar a louça, podar o jardim, sei lá, use a imaginação e se force a sempre fazer algo que vc considere mais desagradável do q estudar, qdo não conseguir se dedicar aos estudos.

    Seu subconsciente irá pesar e a tendência é sempre buscar o q seja mais agradável, ou, no caso, o que seja menos desagradável, sendo assim, qdo vc estiver convencido q estudar é menos desagradável, terá um estímulo a mais para se dedicar, o q tb facilitará um pouco sua vida.

    São coisas simples, porém nem tão fáceis (assim como dieta e exercícios, todo mundo sabe exatamente o que fazer, colocar em prática é q são elas), mas com dedicação e perseverança, vc conlherá bons frutos.

    E por fim se lembre de um velho ditado: “quer pense que é capaz, quer pense que é incapaz, em ambos os casos, você estará correto”.

    • henrique disse:26 mai 2011 às 2:00 pm · Responder

      Muito legal suas dicas e muito valiosas.

  10. Giovanni disse:27 abr 2011 às 9:23 am · Responder

    Caros,

    o que me ajuda bastante é a pratica de exercícios fisícos aeróbicos, alivia o estresse, ajuda a concentrar e também a dormir melhor.

    Abs

  11. Pedro Paulo Braga disse:27 abr 2011 às 2:10 pm · Responder

    Se depois de tudo isso, você não conseguir concentração para estudar DIREITO é por que você não gosta de estudar DIREITO. Se tiver esforço e sacrifício e te torna infeliz é por que você pode estar estudando por aparências, pressão familiar. Vá fazer outra coisa. Trabalhos Manuais, Comércio, Vendas. Aquilo que te faz de concentrar fácil e por que te dar prazer. Não fique dando soco em ponta de faca. Mundo Corporativo é pra quem gosta ou infelizes.

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:12 pm · Responder

      Caro Pedro, sem dúvida que o prazer em aprender consiste em importante fator de influência na concentração.
      Porém, teoricamente, não seria determinante. Até porque a concentração consiste em função cognitiva utilizada não apenas no processo de aprendizagem.
      Abcs!

  12. Leandro disse:27 abr 2011 às 4:44 pm · Responder

    Certamente, agora eu vi que não estou sozinho no mundo rsrs tem horas que é difícil ter concentração mesmo, da vontade de ir estudar num templo budista no alto da montanha, e ainda assim é capaz que eu viaje de vez enquando com meus pensamentos, mas obrigado Prof° pela aula, vou colocar em prática! Abraço!

  13. Ricardo disse:28 abr 2011 às 6:00 pm · Responder

    Força de vontade é mais que suficiente!!! portanto basta

  14. Marcos disse:1 mai 2011 às 7:06 pm · Responder

    Bom Texto, Dr. Rogério,

    As vezes na luta para passar no concurso em que almejo, me sinto desconcentrado e muito. Uma que eu trabalho em um banco público, sou advogado (mas estou apenas assinando) e to na luta para passar em um concurso público.

    O que atrapalha bastante, é que comecei a fazer um curso preparatório telepresencial, no período noturno, esta me atrapalhando o fato, de que no momento em que estou assistindo as aulas parece que o dia vai passando pela sua cabeça e consequentemente os problemas, alguma atitude que teve. Sendo que na hora que retorno ao professor para assistir a aula, me vejo um pouco perdido.

    Quando não estava fazendo o curso, sobrava um tempo disponível para realizar uma atividade física como uma caminhada, eu gostava muito pois dava uma aliviada no estresse. E como o tempo ficou curto, não esta me sobrando muito tempo.

    Tentarei a tática da música clássica como recomendou o colega, vamos ver…

    Caso optem por fazer o curso no período diurno ou noturno, não pensem duas vezes em fazer no primeiro.

    • thaty disse:26 mai 2011 às 7:18 pm · Responder

      amigo, ja tentou copiar as aulas. Eu por exemplo enquanto copio presto atenção ;)

      talvez te ajude a nao devagar na aula e o legal é que tera todas as aulas para reler qndo quiser

      bons estudos

  15. claudinei disse:3 mai 2011 às 1:05 pm · Responder

    Para melhorar o bloqueio dos estímulos externos eu simplesmente parei de assistir televisão e ajudou muito, distraia muito com noticiário do meu time de futebol e com assuntos que roubavam minha atenção e nem chego mais perto do video game (por segurança..rsss). Assisti pouquíssimos filmes em DVD. Cortei também excesso de noticiários na tv e na net. O próximo passo é diminuir tempo de internet em outros sites inúteis. No lazer estou preferindo caminhada leve ou uma corrida.
    Um abraço a todos!

    • Anita disse:30 jan 2012 às 10:14 pm · Responder

      Eu tbm passo longe do video-game, porque é uma tentação e tanto! rs
      Mas em relação à internet, confesso que esse é meu maior vício. Digo para mim mesma que vou entrar rapidinho, apenas para ler e-mails, mas tudo me tira do foco, o dia passa e eu ainda nem comecei os estudos… Acho que preciso de ajuda profissional, é quase como algo incontrolável, sabe? TV eu já não gostava muito, mas de vez em quando fico querendo assistir a filmes e seriados, e isso tbm me atropela. Não sei mais o que fazer. =T

  16. Sâmia disse:26 mai 2011 às 11:25 am · Responder

    Texto excelente, com dicas preciosas.Adorei!

  17. Ana Paula Pereira Lima disse:26 mai 2011 às 12:00 pm · Responder

    Professor Rogério Neiva,

    Obrigada pelas dicas, realmente está difícil de concentrar, parece que não consigo sair do início, e garanto que não é falta de tempo.
    Deixo familia, filhos, marido e tudo para estudar, e nas provas não tenho me saído muito bem, acho que isso está mudando meu foco.
    Vou tentar as sugestões dadas, se tiver alguma entro em contato.

    Atenciosamente,

    Ana Paula

  18. NC disse:26 mai 2011 às 1:27 pm · Responder

    Gostei muito do texto e também da contribuição dos colegas.Eu mesma acho que irei para o templo budista (rsrs), porque é difícil conseguir me concentrar.Na hora dos estudos, parece que tudo se torna imprescindível.E, se eu não resolver naquele exato momento, não consigo me sentir tranquila.É horrível.Já pensei tomar até antiansiolítico.

    Abraços

  19. Thiago disse:26 mai 2011 às 2:31 pm · Responder

    Uma das dicas que já ouvi sobre como lutar contra o estímulo inconveniente é elencar (mentalmente ou por escrito) motivos de sua desvantagem. Ex: se sou viciado em internet, prendendo ela minha atenção por horas e me “chamando” enquanto estudo, penso nos malefícios dela: isolamento social, perda de tempo, dor nos olhos, perda de massa muscular, atraso na aprovação do concurso, falta de grana por causa de improdutividade, cansaço físico. É válido também pensar em motivos imaginários: sei lá, leite no teclado, você sendo difamado nas redes sociais, você passando horas tendo que responder a e-mail da empresa só porque deixou de estudar…
    Ao contrário, penso nos benefícios da concentração ao estudo: mais qualidade no estudo=menos tempos para estudar=mais tempo livre para fazer outras coisas, contracheque, o que posso fazer de bom para mim, família e o próximo com o dinheiro, estabilidade etc.

    Bons estudos a todos!
    Abs.

    • Juliana F. disse:6 fev 2012 às 9:10 pm · Responder

      Muito bom…! Funciona! rs

  20. Márcio disse:26 mai 2011 às 10:15 pm · Responder

    Ótimo texto, professor.
    De todas as formas de manter a concentração, as que melhor funcionam para mim são 2: um edital de um concurso em que tenho interesse e a proximidade da prova; e quando estou num lugar sem internet, que me tira muito a concentração.

  21. Roberto disse:27 mai 2011 às 10:59 am · Responder

    Prof. Rogério,
    Seu “post” é muito esclarecedor, como sempre. Lendo o artigo anterior, soube que o Sr. participa de um projeto de pesquisa na área de distúrbios de aprendizagem (TDHA e Dislexia).
    Gostaria de saber se o Sr. pode me ajudar e/ou se posso e como posso (se for possível) participar desse projeto de pesquisa no atendimento de concurseiros com TDHA.

    Desde logo, agradeço pela atenção

    Obrigado,

    • Rogerio Neiva disse:27 mai 2011 às 11:33 am · Responder

      Caro Roberto, vou lhe mandar um email.
      Aproveito, mais uma vez, para agradecer e parabenizar todos pelas relevantes e instrutivas manifestações.
      Estou, junto com alguns colegas acadêmicos das ciências da aprendizagem, elaborando estudos a partir das manifestações.
      Abcs!

  22. R. Nauderer disse:11 jun 2011 às 2:24 pm · Responder

    Caro Professor,

    Agradeço inicialmente a grande colaboração para a comunidade concursanda.
    Tenho partilhado das postagens desde que iniciei nos estudos rumo à OAB, por opção, haja vista que sou servidora do TJMG, todavia penso em ter novos horizontes.
    Me deparei sempre com a dificuldade de ter que estudar muito para ter resultados. Para mim sempre foi normal ter que estudar além do que as demais pessoas estudam para obter um resultado mediano.
    Recentemente descobri que sou portadora de TDAH e iniciei a medicação em conjunto com auxílio psicopedagógico.
    Minha qualidade de vida melhorou muito, minha concentração tem me rendido melhor resultado em menor tempo. Não acreditava em transtornos de atenção, até começar a entende-los e ter o diagnóstico.
    Creio que com a indicação adequada, o acompanhamento, a perseverança é possível superar as dificuldades do TDAH, assim obtendo qualidade de vida.
    Mais uma vez o muito obrigado pelos belos e proveitosos textos!
    Abs.
    R.

  23. Larissa disse:30 set 2011 às 11:13 am · Responder

    Olá, professor

    A tática que sempre funcionou pra mim é que vc citou no passo 3. Estabelecer meta de estudo para aquele dia/período do dia. “Hoje vou ler este capítulo” ou “Esta noite vou terminar de fazer o resumo do capítulo x”.
    E nos dias em que percebo que os estudos não vão render tanto quanto nos dias normais, sempre estabeleço alguma recompensa: “Depois de acabar de ler este capítulo vou assistir um pouco de televisão ou passar um tempo na internet”.
    Isso sempre me ajudou.
    Ajudou-me inclusive a passar para o cargo público que ocupo atualmente.

    Excelente texto, professor!

  24. Josiane Oliveira disse:30 set 2011 às 12:00 pm · Responder

    Prof. Muito bom os artigos, gostei bastante, além de servir como um alerta sobre o interesse real de classificar dentro do números de vagas estipuladas por um certame.
    Mas agora venho pedir ajuda, sou diagnosticada como TDAH, faço uso da Ritalina 90 mg por dia, contudo ainda continuo com problemas de deficit de memória e dificuldade de estudar.
    por mais que faça o plano de estudo e siga a risca, quando vou realizar alguma prova mesmo em casa ou no dia do concurso, aparece o famoso BRANCO, parece que não estudei nada. Por favor me ajude, preciso passar em um concurso.No aguardo de sua resposta. Josiane

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:21 pm · Responder

      Josiane, 2 observações:
      - em 25% dos casos, a ritalina não faz efeito;
      - a ritalina não interfere na aprendizagem e memória, mas, em tese, na concentração. Ou seja, a ritalina não dará consistência ao processo cognitivo. E é nisto que você precisa trabalhar.
      Abcs!

  25. Wagner disse:10 jan 2012 às 3:13 pm · Responder

    Ola Professor , legal curti muito o texto , venho me preparando pra medicina só que tenho esse problema da concentração , ja fiz de tudo até o exercicio da respiração . Mas não sei caio sobre pressão , fico mais ancioso e mais desatento.
    Acabo me complicando tudo , esqueço rapido das coisas que leio , Mais começei a seguir suas digas tem melhorado os estudos!
    Não esta 100% ainda , mais espero chegar lá !

    abraço

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:19 pm · Responder

      Caro Wagner,
      Obrigado por feedback e sucesso no vestibular!
      Se trabalhadas as condições ambientais, talvez seja o caso de procurar um profissional para fazer um diagnóstico de TDAH ou DDA.
      Abcs!

  26. Felipe Soares disse:9 fev 2012 às 3:20 pm · Responder

    Muito bom o texto. Acredito que o principal problema que tenhos nos estudos é por falta de concentração. Tenho dificuldade de concluir uma leitura sem me desviar para outra coisa no meio.
    Descobri o site esta semana e tem sido de muita valia no meu preparo para concursos.

    • Rogerio Neiva disse:18 fev 2012 às 1:17 pm · Responder

      Caro Felipe, obrigado pelo incentivo!
      Abcs!

  27. henrique disse:18 fev 2012 às 1:00 pm · Responder

    O uso da música clássica realmente ajuda. Quando estou sem concentração no início dos estudos leio o texto com ajuda de uma régua ou caneta. Acompanhado o texto.

    O importante é ter perseverança, acreditar em si próprio e ter consciência que concurso realmente é difícil e levar tempo para conquistar, uns mais outro menos. Independente do grupo que se encontra, se não parar um dia chego a sua nomeação.

  28. Janice disse:18 fev 2012 às 1:14 pm · Responder

    Muito bom o texto! Não tinha idéia dos conceitos apresentados.

  29. Cláudio Machado disse:18 fev 2012 às 1:15 pm · Responder

    Vou atacar os fatores que me desconcentram!!!!!!!

  30. Priscila disse:21 fev 2012 às 11:22 pm · Responder

    Prof. Rogerio, tenho acommpanhado seu trabalho, me identificando muito com suas ideias sobre metodos d estudos na compreensao do sistema psiquico e emocional de cada um. Tive o diagnóstico. De Tda por desatencao bem depois d estudar e aplicar mtos conceitos d aprendizagem efetiva nos meus estudos sem grandes resultados. Tomo Metilfenidato (concerta e ritalina) ha 4 meses e agora qro me adaptar a una nova estrategia d estudos q se adapte mlhor as minhas condicoes pessoais. Ficaria feliz com un retorno seu. Grata!

  31. wellinton moraes disse:22 fev 2012 às 11:24 am · Responder

    Uau…
    Que belo texto! excelente

    • Rogerio Neiva disse:22 fev 2012 às 4:34 pm · Responder

      Wellington, obrigado pelo incentivo!
      Abcs!

  32. milton disse:28 fev 2012 às 11:03 pm · Responder

    olá, eu quero cursar medicina mais minha concentração está zero, e isso infelizmente tem me incomodado muito ao ponto de parar de estudar e ir fazer outra coisa, eu fico super irritado quando me pego ”cantando uma musica na mente” ou ” me lembrando de coisas de 1.000.000 de anos atrás fico super triste com essa situação professor me ajude por favor apesar que suas dicas foram ótimas mais preciso de uma resposta ainda melhor obrigado.

  33. Priscila de Carvalho disse:29 mar 2012 às 11:19 am · Responder

    Adorei esse artigo achei bastante estimulante para nao desistirmos. Tambem estou lendo o livro Como se preparar para concursos publicos com alto rendimento, estou adorando as dicas e tambem recomendo a vcs lerem, o site do Rogerio Neiva, tambem e um estimulo para começarmos a estudar e nao se desviar.
    Abraços

  34. Priscila de Carvalho Brandino Rosa disse:29 mar 2012 às 7:20 pm · Responder

    Adorei esse artigo achei bastante estimulante para nao desistirmos. Tambem estou lendo o livro Como se preparar para concursos publicos com alto rendimento, estou adorando as dicas e tambem recomendo a vcs lerem, o site do Rogerio Neiva, tambem e um estimulo para começarmos a estudar e nao se desviar.

    Abraços

  35. Solmar disse:14 mai 2012 às 1:31 am · Responder

    Professor,
    adorei o artigo.
    Gostaria que o Sr., se possível, desse uma solução para um probleminha meu.
    Moro sozinha e estudo com a tv ligada porém com o volume baixo. Faço isso pois quando desligo a tv me sinto muito sozinha e isso atrapalha meus estudos. Para mim, é muito estranho ficar 3 horas em casa sem a tv ligada. No silêncio total. Como eu disse, a solidão pesa! Como faço curso online, embora a tv esteja sem som, acabo dando uma espiadinha no que está passando. Tenho plena consciência que isso tira a minha atenção e atrapalha meus estudos, mas ao desligá-la vem aquele sentimento ruim e eu volto a ligá-la.
    Se o Sr. puder me ajudar ficarei grata.
    Um abraço,
    Solmar.

  36. Kallyl disse:3 jul 2012 às 10:52 pm · Responder

    Muito bom!
    Sempre que perdermos o estímulo é recomendável que voltemos a esta página!
    Parabéns!

  37. jusciene maria disse:2 ago 2012 às 11:06 pm · Responder

    muito boas essas tecnicas ,eu amei pois tenho muita falta de concentracao na hora de estudar eu acho que e porque eu tenho muita ansiedade isso me atrapalhrapalha bastante e eu vou usar ,todas essas tecnicas . muito obrigada …JUSCIENE -DE RECIFE,PE

  38. Elizabette Garcia disse:9 ago 2012 às 1:03 pm · Responder

    CADA LOUCO COM SUA MANIA NÉ!?

    Gente acreditem eu só consigo estudar escrevendo tudo o que estou vendo ou lendo,com resumos etc.Me da muito sono ler!Na hora do estudo me dá muita fome,adoro estudar e comer guloseimas como amendoim coberto de chocolate,brigadeiro,doce ou qualquer coisa rsrs.Há e o pior gente,quando começo a estudar mas me dá uma vontadeee loucaaaaaa de TOMAR BANHO rsrs, agora não me pergunte o por que? eu não saberei te responder.

  39. Alexandre disse:9 ago 2012 às 11:00 pm · Responder

    Obrigado pelas contribuições professor. Levarei essas iniciativas para as horas de estudos. Parabéns pelo site, o qual fico sempre ansioso por atualizações.
    Desejo-lhe o melhor!

  40. Fellipe Cesar disse:17 ago 2012 às 12:13 am · Responder

    Durante o nosso processo de preparação para o vestibular ou qualquer q seja o concurso, passamos por uma auto-adaptação psicológica e psicanalítica capazes de fortalecer o nosso poder de concentração. Entretanto no momento de realizar a PROVA, devemos manter ao máximo um EQUILÍBRIO EMOCIONAL E PSICOLÓGICO com o intuito de fortalecer a nossa auto-confiança.

  41. andre disse:10 set 2012 às 11:20 pm · Responder

    Ola professor estou cursando ensino superior, quando começo a estudar mil e um pensamentos vem a minha mente tirando todo o meu foco dos estudos principalmente quando estou estudando para uma prova de humanas ,e mesmo quando consigo estudar e parece que conseguir captar o assunto na hora da prova da aquele famoso branco e o resultado e ó baixo rendimento no curso, antes de entrar na faculdade eu tinha um rendimento bom e que eu me lembre não tinha esse problema de me concentrar nos estudos pelo menos igual agora que parece ser um estado critico a meu ver, ainda tem o fator de eu não conseguir me comunicar com as pessoas eu seu que elas não conseguem me entender principalmente as pessoas com que tenho menos afinidade e vivencia. acho que tenho TDAH, me ajude ai por favor não sei mais o que fazer e isso pode ser por fatou que nao seja o TDAH ?

    • Rogerio Neiva disse:11 set 2012 às 1:20 am · Responder

      André, pode ser que você esteja apresentando algum ou alguns sintomas de TDAH. Mas para chegar a esta conclusão é preciso fechar um diagnóstico, de forma séria e responsável. Por isto, sugiro que procure um psicopedagogo, neuropsicólogo, neurologista ou psiquiatra.
      De qualquer forma, procure se empenhar para trabalhar a sua concentração. Veja até aonde consegue ir. E se, de fato precisar da mediação, após o diagnóstico, que assim seja feito.
      Abcs e sucesso!

  42. Alvaro Henrique disse:14 set 2012 às 3:04 pm · Responder

    Sugiro tambem a arte da “Meditação”, mostrarei de forma bem resumida com as palavras do Carlos Xuma =D
    Benefícios > Concentração ; paz espiritual ; trocas de humor menos frequentes ; estresse reduzido, habilidade perspectiva aumentada, pensamento positivo (confiança) ; Melhor caráter ; Maior forca de vontade ; Autodescobertas ; Desenvolvimento de tuas habilidades mentais latentes ; Habilidade atlética melhorada e muito mais!
    Todas as meditações requerem um ambiente calmo, mas não a ponto de você dormir, necessita estar atento e em uma posição cômoda.
    Métodos > 1- Feche os olhos, respire lentamente, respirações profundas, vindas do estomago ou diafragma, limpe sua mente de todo pensamento. Conta de 20 a zero, mas veja o numero e aos poucos vá aumentando a contagem.

    2- Bolha de agua: Imagina que esta sentado com as pernas cruzadas flutuando na superfície de um lago tranquilo, começa a afundar, mas a agua não molha o seu pé, quanto mais afundas, mais se esclarece sua mente, tudo o que te distrai evapora. Então chega ao fundo do lago, e sua mente esta completamente em branco, mas consciente e atenta.
    3- Olhos abertos: Centrar-se em algo, um objeto ou qualquer coisa. Este exercício te ajudara a se manter calmo em qualquer situação. Porque terás um novo ponto de referencia, será capaz de controlar aqueles momentos de pânico masculino e ansiedade ou euforia que podem aparecer de vez em quando.

  43. Daniel disse:15 set 2012 às 3:48 pm · Responder

    Horrível, estou altamente desconcentrato e manda um monte de palavras que tentou me transmitir algo que não entendi nada…em fim, tem que ser sucinto.

    • Rogerio Neiva disse:21 out 2012 às 12:12 pm · Responder

      Caro Daniel, sugiro que procure um psicopedagogo para avaliar a sua situacao e considerar o encaminhamento ao psiquiatra. Possivelmente o seu problema tem natureza organica, talvez nao sendo o caso de preguica cognitiva.
      Se nao conseguiu ler este texto, imagino que com relacao a textos de maior densidade conceitual e mais complexos a dificuldade seja bem maior. Avalie como anda a sua frequencia de leitura e como anda a sua capacidade de redacao de textos.
      A internet anda criando analfabetos funcionais, ou seja, pessoas incapazes de ler e escrever. Muitas pessoas somente conseguem produzir e assistir videos. Espero que nao seja o seu caso.

  44. felipe gomes disse:5 nov 2012 às 10:17 am · Responder

    caro professor , queria saber ser você poderia me ajudar , so uma pessoa que não consigo nem se concentra nos estudos e nas provas . Fui fazer nesse final de semana a prova o enem , não conseguir me concentrar na prova , sou uma pessoa muito anciosa e pouco nervosa . eu por causa dessa situação minha auto estima esta muito baixa.

  45. Bruno disse:6 nov 2012 às 10:02 am · Responder

    Eu não consigo me concentrar como eu vou lé esse texto enorme ?

    • Rogerio Neiva disse:6 nov 2012 às 3:54 pm · Responder

      Caro Bruno,
      Se acha este texto enorme, o que dizer dos manuais e demais livros que teria que estudar para passar em algum concurso?
      O seu problema pode ser grave.
      Sugiro procurar um psicopedagogo clínico para fazer um diagnóstico e avaliar se é o caso de lhe encaminhar para um psiquiatra.
      Desejo que supere o problema, pois não conseguir exercer a capacidade de leitura pode se traduzir numa modalidade de analfabetismo funcional, o que, diga-se de passagem, não é motivo de vergonha, caso exista humildade para reconhecer o problema e buscar a superação.

  46. Matheus Duriguetto disse:14 nov 2012 às 3:00 pm · Responder

    Olá Prof. Rogério. Boa tarde!

    Sou concurseiro e sempre busco conhecimento sobre meditação e exercícios mentais para estudos.

    Aprendi com um Prof. de Filosofia na faculdade um exercício, se não me engano de Terapia/Meditação Heike, que ajuda na concentração e preparação para a mente quando antes de determinadas situações que necessitam de atenção, calma, controle, etc.

    Se pratica da seguinte forma: a pessoa deve sentar-se em uma cadeira(ou onde quiser) de mode que as pernas fiquem flexionadas em um ângulo exato de 90º.
    Sobre as coxas, um pouco antes dos joelhos, repousar as mãos no sguinte formato: com as mãos abertas, encaixe os polegares na palma de cada mão e feche os demais dedos. O polegar deve ficar por dentro dos demais dedos.

    A coluna sempre ereta. Olhos Fechados.

    Trabalhe a respiração da seguinte forma: 4 segundos para inspirar, e expirar da forma mais relaxada.
    Trabalhe a mente da seguinte forma: concentre-se apenas no ar que entra e no ar que sai. EM MAIS NADA! Para alguns, nesta hora, como no meu caso, prefiro pensar nos benefícios que conquistarei ao vencer o desafio (concurso, audiência, entrevistas de emprego, etc).

    Bom, fica a dica.

    Ah, não mais do que 5 minutos. Se não vira Heike. rsrs

    Obrigado pela informações.

    Gostei das “estruturas bio-cognitivas capazes de selecionar estímulos de forma voluntária”.

    Abraços.

    Matheus.

    • Rogerio Neiva disse:15 nov 2012 às 11:43 am · Responder

      Perfeito Matheus!
      Acredito na eficácia destes métodos de relaxamento, inclusive por uma questão neurofisiológica, sem precisar ficar recorrendo a “métodos mágicos e hipnóticos” apresentados pelos especialistas sem especialização.
      Abcs!

  47. Amilton Augusto disse:20 nov 2012 às 6:47 pm · Responder

    Excelente texto, prof. Rogério,

    Confesso que minha disciplina anda um tanto quanto desorientada… To sentindo que preciso verificar a possibilidade de um TDA, pois, com frequencia me desconcentro, quando não, no meio do estudo, começo a pensar em mil e uma coisas que preciso fazer, ou então, “crio” coisas para fazer…
    Quando me esforço, por um tempo, consigo me manter focado nos livros, textos, material de curso, mas, de repente, bate um desanimo e uma falta de concentração enorme, atrapalhando totalmente toda aquela disciplina que se estava instalando…
    Enfim, ainda não defini certo o que possa estar me atrapalhando, se TDA ou se tão somente falta de foco no projeto… preciso analisar melhor isso.
    De toda sorte, ótimo texto, muito útil..
    parabéns e obrigado.
    Abs.,

  48. Joeliton Boia disse:4 dez 2012 às 11:19 am · Responder

    Arapiraca-Alagoas

    Saudações… Sou um jovem meio confuso, que não tenho saco para estudar, mais os seus posts abriram o leque dos meus lobos frontais…Professor, te agradeço por ter colocado esse texto que me ajudou bastante no discernimento do problema que estava passando, disse até pra minha irmã que eu estava com atrofiamento nos neurônios, daí quando fiz uma pesquisa ampla dessa doença descobrir que não tenho nada desse problema que eu criei para mim…rsrs, seus textos estão me ajudando a ver o mundo dos estudos com outra visão, pois necessito vê-lo realmente, pois o meu futuro depende de mim mesmo, ou seja depende de cada um de nós…obrigado!

  49. Gustavo Tenório disse:10 jan 2013 às 1:36 pm · Responder

    Não sei se é impressão minha, mas quando estou desconcentrado ao estudar pego um livro de literatura que gosto e o leio um pouco. Parece que minha concentração se rearranja; que entro no clima da leitura.

  50. inon disse:9 mar 2013 às 1:02 am · Responder

    Poxa, uma coisa que me motiva é lembrar da vida melhor que vou levar quando passar no concurso.
    Lembro das minhas dificuldades atuais e do meu Land rover evoque que vou comprar

  51. Rogny Oliveira disse:19 mar 2013 às 10:50 am · Responder

    Professor Neiva, seus textos são um alento para nós concurseiros, nesta árdua preparação.

    Como o colega acima relatou, o hábito de ler em voz alta também me permite uma concentração maior.

    Algo que traz maior eficiência no meu rendimento é escrever, fazer resumo de tudo que estudo. Às vezes lembro do conceito como escrito no papel na hora da prova.
    Todavia, penso que a escrita toma muito tempo, bem como provoca desgaste físico maior.
    Gostaria de sua opinião a respeito.

  52. francielle disse:22 abr 2013 às 11:49 am · Responder

    Olá Professor.
    Passei no meu primeiro concurso público com 18 anos, e, após 8 anos trabalhando, resolvi pedir exoneração para galgar novos passos. Como já tinha passado na OAB, advoguei, mas decidi voltar a estudar, pensando que em alguns anos já estaria aprovada no meu grande sonho: magistratura. Foi aí que percebi a grande dificuldade que tenho em me concentrar. Fiquei 2 anos lutando contra a minha desconcentração, estudando sem rendimento. Então, após estar com a auto estima baixa, me sentindo a mais burras das burras, procurei um neuropsiquiatra e um pasiquiatra para ter mais de um diagnóstico se havia algo errado comigo, já que não conseguia passar nem na primeira fase.
    Fui diagnosticada com TDA, passei a tomar ritalina 10 mg e desisti de lutar pelo meu sonho. Passados dois anos sem estudar para concurso, retornei para a minha luta ano passado. Fiz cursinho 1 ano, assinei (mas ainda não consegui colocar em prática) o TUCTOR e estou estudando 6 h por dia, já que trabalho de assessora no MPC. Tomo ritalina, mas apenas meio comprimido, pois sinto que 1 comprimido me deixa ansiosa.
    Continuo com dificuldades imensas para me concentrar, mas confesso que sem a medicação esse desconforto aumenta muito.
    Sinto dificuldade principalmente para começar a engrenar no dia, já que estou com cansaço mental do trabalho, bem como dificuldade com a falta de auto estima, positividade, acreditar que posso alcançar meu objetivo.
    Semana passada retornei a fazer psicólogo para acompanhar essa falta de auto confiança.
    Esse texto foi mais um desabafo, apesar e o professor Rogério ter pedido dicas para concentração rsss.
    Vou tentar hj ainda a dica da música clássica e da meditação.
    Obrigada Professor por esse espaço.

  53. maria de jesus disse:2 mai 2013 às 7:15 pm · Responder

    estou com 27 anos. tenho 3 filhos e fiquei viuva há 7 meses.estou tentando retomar os estudos mais não consigo me concentrar.o que eu devo fazer.

  54. Guilherme disse:25 mai 2013 às 1:58 am · Responder

    Este trecho:

    “3 – compreenda de forma fragmentada o que irá estudar, do tipo “agora minha meta é estudar e entender este parágrafo”, ou “esta página, este item, este capítulo, este tema…”. Encare um, para depois passar ao outro. Avance por partes, esqueça o todo e estude o que tiver que estudar de forma fragmentada.”

    Leio como “recompensas fáceis geram grandes estímulos”.

  55. Lúcia Reis disse:1 jul 2013 às 6:02 pm · Responder

    Tenho certeza que minha falta de concentração está no vício em internet. Sou muito curiosa e gosto de ler vários artigos, ver vários vídeos, de assuntos diversos e na internet temos um excesso de informação muito grande. No momento que estou assistindo ou lendo algo, por mais interessante que esteja, me dá logo uma vontade enorme de largar aquilo pela metade e passar para o outro que está ali próximo.
    Trata-se de uma ansiedade para ver todos, como se isso fosse possível ou necessário. Acabo não retendo o melhor de nenhum e na hora de estudar alguma coisa sistematicamente para obter resultados, não estou conseguindo.
    É óbvio que a internet é muito útil mas também é muito prejudicial. Sinto que tenho que exercitar muito a calma e a seleção. Mas selecionar em meio a milhares de opções, pra mim tornou-se um grande desafio.

  56. Lúcia Reis disse:1 jul 2013 às 6:15 pm · Responder

    Tenho percebido que o Facebook estava me fazendo muito mal, parei de acessar, pois aquele fluxo enorme de informações e divergências de opiniões estava me deixando “tonta” e com mal estar mental. É como se ele tivesse o poder de gerar um stress automático de informação. Pois ali, não precisamos ir em busca de páginas e de informação, já é automático e alucinadamente rápido. Eu não dava conta, perdia muito tempo e fica mentalmente cansada. Estou fora, só usarei estritamente para meu trabalho, caso não tenha outra alternativa e ainda assim com muito rigor.

  57. ANDRE PAZ disse:4 jul 2013 às 10:38 pm · Responder

    O que tenho me avaliado é que tenho um tempo quase que de paciencia para qualquer texto e mesmo que seja interessante, após esse tempo que dificilmente chega a uma hora eu começo a folhear ou buscar outra coisa. Sou apaixonado por leitura e passo o dia todo na internet quando estou de folga, mas sempre lembro bilhões de coisas diferentes. Me atraio facil por várias assuntos das ciencias humanas. E estou com sérias dificuldade na faculdade, pois devia ler os textos das aulas diáriamente e só consigo ler uma ou duas páginas e começo a ler sem prestar atenção, então abandono. Tambem tenho o objetivo de passar em concurso desde 2010 e nunca consigo estudar por esse problema. Ja conversei com uma psicologa que eu estava com problema de ancidade, mas fui mau interpretado por estar envolvido afetivamente e hoje não estou mais e continuo no problema de anciedade. Exemplo disso foi eu ter lido o texto aqui e os 5 primeiros comentários e pular para o fim srrss

  58. mel disse:14 jul 2013 às 1:40 am · Responder

    Pra falar a verdade eu consigo estudar melhor quando começo a pensar que gosto da matéria, mesmo que minha mente esteja gritando “Ah que coisa chata!” Eu tento enfiar de alguma maneira que é muito legal aprender o que estou estudando, dai passa a ser algo mais prazeroso e interessante, se não colocar na mente que é algo bacana, qualquer coisinha por menor que seja vai tirar minha concentração. Com o tempo eu comecei a achar leitura chata, uns dos meus passatempos favoritos e estou tentando retornar ao que era antes, mas na realidade o que mais me atrapalha são redes sociais, por questão disso vou desativar todas :) Assim será bem melhor.

  59. Airton Nogueira disse:28 jan 2014 às 4:46 pm · Responder

    Muito bom o texto, embora o que esteja me atrapalhando não seja exatamente a falta de concentração, mas sim pessoas que a estão tirando de mim. A parte que diz sobre ser fanático por futebol, me abriu a mente e os olhos e pude ver que, se sou fanático pelos meus estudos nada vai me impedir, vou arrumar um jeito, uma solução cabível, seria algo feito com amor, de coração, e que com certeza teria mais importância que o futebol na minha vida, já que os estudos transformariam meus desejos em realidade.

  60. paulo disse:6 fev 2014 às 6:54 pm · Responder

    Pessoal vamos estudar para concursos!

  61. Gerson disse:27 fev 2014 às 3:13 pm · Responder

    Na auto escola aprendi que que não dá pra dirigir quando estamos eufóricos, deprimidos, felicidade exagerada por exemplo emoções fortes de quando ganhamos na mega sena. É bom evitar pra dirigir quando estamos tristes, cansado, ou com aquela voz interna te lembrando tudo que já aconteceu – caso contrário algo errado pode acontecer no transito, acidante vai acontecer. Creio que em relação aos estudos é a mesma coisa, não teremos bons resultados se não estamos em nosso estado normal: tranquilos, vivendo o momento presente, de bem com a vida, concentrados. No meu caso o que ainda atrapalha são pensamentos do passado através de vozes internas que não saem da minha cabeça rsrsrsrsrs.

  62. Lig Ribeiro disse:27 abr 2014 às 7:18 pm · Responder

    Boa tarde .
    Eu me concentro.
    Passei a tarde estudando e revisando tudo.
    Acontece que depois de 1 hora não me lembro de nada.
    É como estivesse apagado tudo que li.
    Estou aflita pois está afetando meu trabalho, agendo compromissos todos escritos, pois se for falado já era, não me lembro.
    Amanhã tenho prova na faculdade, já sonhei com as perguntas e não sabia as respostas, tenho 45 anos. Trabalho durante o dia como escriturária e curso Ciências Contábeis a distância. Me ajude por favor. Obrigada.

  63. PC. disse:27 mai 2014 às 6:08 pm · Responder

    Ótimo o texto do Prof. Rogério Neiva!!! Há algum tempo venho sofrendo com a falta de concentração e realmente estou desesperado, pois meu estudo não rende…Inclusive me encaixei muito bem na descrição do texto quando temos a sensação de que o dia não rendeu nada! É muito triste isso!!!

    Acreditem, o meu GRANDE problema de concentração decorre das intermináveis músicas que ouço dentro da minha mente quando estudo. A música simplesmente entra e NÃO SAI DE MANEIRA ALGUMA. Sou muito fã de música e sempre as ouvi bastante, porém, ultimamente até tentei diminuir a intensidade para ver se algum resultado seria obtido. Ainda assim continuei na mesma. Ouvindo música ou não, ela continua em minha mente e me retira GRANDE parte da minha concentração….Chegou a um ponto em que as minhas atividades diárias, além das destinadas ao estudo, são tomadas pelas minhas “músicas mentais”…

    Pode parecer bobeira tudo o que escrevi. Mas não está nada fácil lidar com isso….algum de vocês também experimenta situação semelhante, especificamente relacionada às “músicas mentais”?

  64. Felipe Rizzoto disse:5 ago 2014 às 6:30 pm · Responder

    Rogério, ótimo artigo!
    Parabéns.

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Blog Exame de Ordem » Como combater a falta de concentração nos estudos
  2. Concurso Público | Ataque à falta de concentração! « GEN Jurídico
  3. Concursos públicos atenção concentração e memória | Concursos Públicos Prof Rogerio Neiva
  4. Concursos públicos aulas on line web e concentração | Concursos Públicos Prof Rogerio Neiva

Deixe um Cometário