Diálogos do Candidato a Concursos Públicos e Exames: da angústia à aprovação!

O presente post consiste na reunião de mensagens que foram trocadas com um ex-aluno. A intenção do texto é demonstrar a necessidade da compreensão estratégica do processo de preparação para concursos públicos e exames, com a montagem e execução de um adequado planejamento de estudos. Outro aspecto fundamental, revelado pelas mensagens, consiste na importância de acreditar na viabilidade da aprovação, inclusive em função da existência de elementos racionais que permitem a construção desta convicção.

Saliento que esta lógica e as ponderações apresentadas se aplicam não apenas ao Exame da OAB, ao qual o referido aluno se submeteu e foi aprovado, mas a qualquer concurso público. Uma das premissas fundamentais, relacionada ao sentido do trabalho de orientação que venho desenvolvendo, consiste na compreensão da busca do objetivo da aprovação enquanto um empreendimento de natureza cognitiva-intelecutual.

Aproveito ainda para, mais uma vez, parabenizar o candidato Rivael Alves pela conquista da aprovação!

1ª Mensagem trocada
De: Rivael Alves
Para: Rogerio Neiva
Enviada: 03/03/2009

Caríssimo Professor,

Fui seu aluno em meados do ano passado, no curso preparatório para a prova da Ordem, na ocasião conversamos e você e passou o seu e-mail. Em Setembro te convidei para a minha formatura, só que na época você estava de viagem marcada e não pode comparecer.

Tive a oportunidade de ir a uma palestra sua sobre o tema Como Passar em Concurso, que é o tema do seu livro, e se por um acaso já tiver lançado eu tenho interesse em adquirir.

Caro Professor, o motivo do presente e-mail é que eu tenho estudado muito e fui reprovado pela segunda vez no exame de Ordem. Na última prova eu estava estudando cerca de 8 (oito) horas por dia e fui um desastre (na prova). Entrei em desespero, por não ter passado, eu tenho um bom conhecimento nas matérias que são cobradas na prova e não entendo o que aconteceu comigo, gostaria de uma dica sua, pois sei que possui uma vasta experiência no assunto.

Gostaria de saber de uma possível causa que tem feito com que eu não tenho conseguido êxito nessa prova.

Desde já agradeço.

Rivael.

2ª Mensagem trocada
De: Rogerio Neiva
Para: Rivael Alves
Enviada: 04/03/2009

Caro Rivael,

Antes de mais nada, acho que o fundamental é você procurar entender o que está acontecendo, buscar orientação e, principalmente, não se desesperar ou desacreditar na aprovação. Portanto, considero que está no caminho certo.

Em primeiro lugar, devo dizer que concursos públicos e exames como o da OAB, do ponto de vista cognitivo, envolvem um modelo de aferição de conhecimento relacionado com um conceito psicopedagógico denominado Zona de Desenvolvimento Real ou Atual. Ou seja, o que vale é o que o candidato apresenta no momento em que é consultado, sendo que, por diversos fatores, a informação pode ter sido apropriada, mas não está disponível naquele momento.

No entanto, independente do que possa estar acontecendo precisamente no momento da prova, você também precisa refletir sobre o seu processo de preparação.

Assim, pergunto:
- você esgotou o estudo bibliográfico do programa do exame?
- você estudou todos os conteúdos que estavam no programa e em relação a todas as matérias?
- por onde você estudou, qual manual?
- como foi o seu estudo? apenas leitura? fez resumos, esquemas ou mapas mentais?
- deu para fazer revisão?
- fez exercícios?
- assistiu aulas?
- COMO FOI O SEU PROCESSO DE ESTUDOS????

Talvez esteja sendo ineficiente…Talvez não tenha esgotado o conteúdo programático…Talvez não tenha adotado a melhor técnica de estudo…

Enfim, pense nisto e inicie uma reflexão para retomar os estudos para o próximo exame.

Me dê um retorno sobre estas perguntas que volto a fazer ponderações.

Abcs,

Rogerio Neiva.

3ª Mensagem trocada
De: Rivael Alves
Para: Rogerio Neiva
Enviada: 04/03/2009

Caro Professor,

Em resposta às sua perguntas.

- vc esgotou o estudo bibliográfico do programa do exame? Estudei pelo Código todas as matérias, exemplo Direito Constitucional fiz varias leituras na CF e lia o caderno onde fazia todas as anotações em aula, e assim fiz nas outras matérias.

- vc estudou todos os conteúdos que estavam no programa e em relação a todas as matérias? Não estudei todo conteúdo, peguei as matérias que tenho mais afinidade, tais como Direito do Trabalho, Processo do Trabalho, Penal, Processo Penal, Constitucional e Estatuto e me dediquei bastante, as outras não estudei com tanta veemência.

- por onde vc estudou, qual manual? Sempre estudei pelo Código, leitura de artigos e às vezes algumas sinopses.

- como foi o seu estudo? apenas leitura? fez resumos, esquemas ou mapas mentais? fez revisão? Fiz muita leitura, fiz pequenos resumos mo caderno e sempre que o professores falavam algo interessante em sala de aula, fazia anotações. Também depois de fazer uma leitura no caderno eu ia para o código, pois sempre achei que a leitura fica mais fácil de compreender. Não fiz mapa mental, pois já vi falar mas não tenho conhecimento como funciona.

- fez exercícios? Sim, comprei um livro onde tem várias provas da Ordem, e fico resolvendo todas.

- assistiu aula? Sim, assisti todas as aulas e sempre estudava as matérias que via nas aulas.

- COMO FOI O SEU PROCESSO DE ESTUDOS???? Assistia aula a noite e durante o dia, pegava duas matérias para estudar, uma na parte material outra processual.

Desde Já agradeço.

Rivael.

4ª Mensagem trocada
De: Rogerio Neiva
Para: Rivael Alves
Enviada: 10/03/2009

Caro Rivael,

Eu tenho uma proposta para você. Acredito que se colocar em prática esta sugestão terá grandes condições de ser aprovado no exame de Ordem. Só não garanto que irá passar, pois sou cauteloso com este tipo de colocação, mas tenho enorme convicção da viabilidade do alcance deste objetivo.

No entanto, preciso saber se está disposto.

Eu desenvolvi um sistema de controle e monitoramento do planejamento de estudos, que, na sua utilização, tem embutido uma filosofia e método de preparação que venho trabalhando com alguns alunos e é objeto de um livro que escrevi sobre o tema.

Procure entender a proposta metodológica. É preciso planificar os estudos. Definir o objeto de conhecimento, estabelecer as fontes de estudos e os processos cognitivos. A partir daí, montado o plano, é preciso promover a sua implementação, monitorando a execução.

Portanto, avalie se está interessado, entre no site para ter uma idéia da proposta. Havendo realmente interesse, lhe forneço uma chave de acesso.

Mas só o farei se vc for realmente utilizar.

Entre no site www.tuctor.com.br , dê uma olhada e pense no assunto.

Abcs,

Rogerio.

5ª Mensagem trocada
De: Rivael Alves
Para: Rogerio Neiva
Enviada: 10/03/2009

Ilustre Professor.

Com certeza estou disposto a utilizar esse método, e em breve te darei notícias.

Grato.

Rivael.

6ª Mensagem trocada
De: Rivael Alves
Para: Rogerio Neiva
Enviada: 16/09/2009

Boa Tarde Ilustre Professor!

Fui seu aluno e sempre nós falávamos depois da aulas. Depois disso trocamos alguns emails, onde eu te pedia orientações para passar na prova da ordem, acontece que eu segui os seus conselhos e consegui passar na prova da OAB. Fiquei muito grato pelas suas orientações e foi graças a elas que alcancei o sucesso nessa prova!

Muito obrigado mesmo.

Abraços.

Rivael.

7ª Mensagem trocada
De: Rogerio Neiva
Para: Rivael Alves
Enviada: 24/09/2009

Caro Rivael,

Minhas efusivas congratulações pelo êxito alcançado!!!

Meus parabéns! Que bom ter dado certo a sua estratégia de estudos. Não sei se recorda dos emails trocados, mas me lembro que numa ocasião na qual vc estava um pouco desacreditado, havia lhe dito da viabilidade da aprovação. Pois bem, está aí a prova…

Me mantenho na torcida e à disposição!

Abcs,

Rogerio Neiva

CONCLUSÃO: aprovação está ao alcance de todos. E as angústias e eventuais momentos de desânimo são naturais e fazem parte da trajetória de qualquer candidato que alcança o êxito pretendido. O fundamental consiste em procurar desenvolver um processo de preparação de forma adequada e compreender, inclusive com base em fundamentos racionais, a viabilidade da aprovação.

5 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Helga Maria disse:22 jul 2010 às 12:09 am · Responder

    Oi Prof,

    Adorei o post. Muito legal o diálogo entre vocês: o nível do diálogo, o sucesso do rapaz, a atenção dada à dúvida dele, a clareza de toda a situação.

  2. Márcio Omena disse:22 jul 2010 às 2:54 pm · Responder

    Rogério,

    Excelente post. Com certeza, o seu auxílio e cuidado com cada candidato é digno de louvor.

    Paz e bem!

  3. marcos paulo disse:22 jul 2010 às 5:05 pm · Responder

    Acho que havia um problema no relato do rapaz. Ele disse que só estudava pelos códigos e pelas anotações que ele fazia em sala de aula.

    No meu pensar, isso é insufiente(talvez alguém passe por essa via…) pois cadê a leitura dos manuais?

    Sim, é preciso ter esse contato à princípio com a parte doutrinária…

  4. Andrea Baeza disse:7 dez 2010 às 12:57 am · Responder

    Professor,
    confesso que a atenção e o carinho que vc dispensa a cada aluno, realmente me impressiona.
    Grande abraço!

    • Rogerio Neiva disse:7 dez 2010 às 10:09 am · Responder

      Obrigado pela manifestação Andrea!
      Sei que há uma dose de generosidade da sua parte.
      Mas gostaria de me dedicar bem mais, o que não é possível pela desumana e crônica falta de tempo que vivo, tendo que conciliar a atividade judicante com a atividade docente e editorial.
      Abcs!

Deixe um Cometário