Preguiça nos Estudos: Como Evitar e Combater?

Por  •  14 ago 2012  •  Como se Preparar, Gestão Emocional  •  35 Comentários
concursos públicos preguiça estudos motivação ânimo para estudar como se preparar e passar em concursos

Você costuma sentir, com freqüência ou não, preguiça para os estudos? Você considera que não estuda ou já não estudou o quanto deveria ou gostaria em função deste fenômeno humano chamado preguiça?

O tema deste texto é exatamente a abordagem da preguiça na preparação para concursos públicos, principalmente no sentido de como superar este possível obstáculo.

A palavra preguiça vem do latim “pigritia”. Conceitualmente, significa aversão ao trabalho ou ao esforço.

Não é o objetivo do presente texto entrar no debate político-religioso ou sociológico sobre a preguiça, já que há teses que sustentam a sua importância, ao defenderam a importância do ócio, e outras, inclusive de natureza religiosa, que a trata como pecado. Aliás, um dos sete pecados capitais.

Portanto, sem a pretensão de sustentar que uma tese ou outra está correta ou errada, para efeito do presente texto, vamos partir da premissa de que a preguiça consiste em comportamento negativo à preparação para o concurso público, ao corresponder à falta de um comportamento ou esforço que deveria ser realizado. E não realizando, há um prejuízo, em termos não aproveitamento do tempo que poderia ser aproveitado.

Traduzindo e resumindo, a preguiça é deixar de estudar quando deveria e poderia. Ou mesmo estudar de forma não empenhada e esforçada como deveria e poderia.

Assim, para o presente efeito, este é o conceito de preguiça. Portanto, trata-se de algo prejudicial ao processo de busca da aprovação, que precisa ser combatido.

Partindo da mencionada premissa, cabe indagar: como a preguiça se manifesta na preparação para o concurso? Temos várias possibilidades. Vamos a algumas delas:
- não tomar as atitudes que deveria tomar, como se deslocar ao local de estudo, no momento em que deveria estudar;
- não se empenhar para manter o foco no estudo, dando margem e alimentando os pensamentos que desviam o foco atencional no momento do estudo (vulgo viajar);
- não manter o foco atencional na aula que o professor está ministrando no curso presencial;
- deixar de assistir uma aula on line no momento em que havia se programado para tanto ou deixar de se deslocar para a sala de aula do curso presencial;
- desistir da montagem de um plano de estudos metodologicamente consistente, não se empenhando para levantar informações e variáveis relevantes (comum em relação a algumas pessoas que se cadastram no Sistema Tuctor);
- deixar de corrigir uma prova, avaliando e refletindo sobre os erros e acertos a partir do gabarito;
- não realizar exercícios enquanto forma de estudo, nas situações em que seria possível e recomendável;
- não continuar a leitura deste texto, por achar que é grande demais e cansativo!!! 

Outra forma de manifestação da preguiça, muito comum entre as milhares de pessoas que se aventuram na busca da aprovação no concurso – e aqui a palavra mais correta é aventura mesmo, consiste no binômio falta de disposição para o esforço necessário-busca desesperada pela fórmula mágica que proporcione a aprovação de forma rápida e fácil. É o que chamo de “Candidato Microondas”. E para estes, os “especialistas sem especialização” deitam e rolam com as soluções milagrosas.

Porém, obviamente que todos nós estamos sujeitos e vulneráveis à preguiça. Uns mais outros menos. Mas não é motivo de vergonha estarmos acometidos de um comportamento que se enquadre no conceito de preguiça.

No caso dos estudos, que envolveria a preguiça cognitiva, vários fundamentos podem ser invocados para a compreensão do fenômeno. Um deles consiste na lógica economicista do funcionamento do cérebro, o que tem inclusive um sentido evolucionista-darwiniano.

Ou seja, tendemos, intelectualmente, a contermos esforços como forma de poupar energia, enquanto meio de busca de sobrevivência. Conforme texto publicado na Revista Mente e Cérebro, “…os seres humanos são avaros cognitivos: nossa tendência básica é nos acomodar com as formas de processamento que demandam menos esforço…” (O que os testes de QI não Revelam. No. 203, Ano XVII, pag. 43).

Muito bem, superadas as compreensões até aqui expostas, o que nos interessa a partir de agora é: como fazer se estamos com preguiça para os estudos? Como reverter esta situação?

Ok, existem alguns passos e atitudes que são fundamentais para combater a preguiça para os estudos.

Primeiramente, como em relação a vários outros aspectos da preparação para concursos, é preciso tomar consciência. Ou seja, é preciso perceber quando estamos acometidos por um estado de preguiça, tomar consciência e, acima de tudo reconhecer e aceitar. Você não precisa ter vergonha de si mesmo!

Em seguida é preciso passar pela compreensão sensorial do fenômeno. Isto é, o que você está sentido quando tem preguiça de estudar? O que está acontecendo sensorialmente? O que o seu corpo e mente dizem sobre isto? Viva a sensação, para que perceba e entenda. O que é mais forte, não querer fazer o que deve ser feito em termos de estudo, fazer ou pensar em outra coisa ou se manter inerte? Tenha a clareza de como a preguiça se manifesta.

Posteriormente, após a tomada de consciência e compreensão, passamos à fase de questionamento e desconstrução. Ou seja, passe a se questionar sobre a causa desta sensação e estado. De onde vem isto? Por que isto acontece? Por que não tem preguiça para outra determinada atividade e tem para os estudos?

Avançando na reflexão, é preciso partir para questionamentos mais construtivos, como se indagar porque não consegue ter disposição e satisfação para estudar o que deve? O que impede o prazer nos estudos? Obviamente que uma estratégia importante é trabalhar o prazer em aprender (clique aqui para ler o texto Preparação para Concursos e Prazer em Aprender).

Mas o fato é que neste questionamento sobre o que impede ter satisfação com o esforço intelectual-cognitivo voltado aos estudos, ao se indagar sobre o que impede o prazer com esta atividade, a resposta será negativa, pois nada impede. E é importante se convencer conscientemente e racionalmente disto.

Assim, o espaço estará aberto para converter a preguiça em disposição.

E você, tem preguiça e conta com estratégias para combate-lá? Deixe suas considerações, opiniões e experiências em forma de comentário.

35 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Andrea Baeza disse:14 ago 2012 às 12:09 pm · Responder

    Perfeito! Me incluí naquelas pessoas que se cadastram no Tuctor e por preguiça, desistem da montagem do plano de estudos. Fiz inscrição em vários concursos e sei que poderia me esforçar mais, mas a falta de organização das matérias a serem estudadas, me faz perder o foco e consequentemente, o rendimento. Forte abraço!

  2. Jucely Calixto disse:14 ago 2012 às 12:37 pm · Responder

    Confesso que a preguiça é muito grande em alguns dias ou momentos. A vontade de não ler ou estudar predomina quando vc está com preguiça rsss Ainda mais depois do almoço rsss
    Tudo bem que eu fiz um investimento nos meus estudos, então pra mim, tempo é dinheiro realmente! Mas estou confiante de que eu possa me sair super bem no concurso da Receita Federal e meu filho também está se preparando para o Exame da OAB! Adquirimos dois cursos do Instituto IOB para nos manter firmes nesta fase de estudos. Eu estou fazendo o curso para Analista e ele o preparatório para o OAB. Ambos estão gostando muito do conteúdo, bem bacana mesmo! Além das indicações, descobrimos que o IOB estava oferecendo 30 dias de qualquer curso grátis, confesso que isso nos ajudou muito na escolha do curso, pois podemos usar do conteúdo e ter uma noção da qualidade; ótima é eu indico para quem está se preparando como eu e meu filho. Beijos!!!

  3. cristina disse:14 ago 2012 às 2:04 pm · Responder

    Eu costumo fazer esquemas e resumos quando não consigo manter a atenção. Por exemplo, se o texto é muito longo ou monótono, vou fazendo anotações, assim, consigo pensar sobre o que está sendo dito e até me lembrar com mais facilidade.

    Porém, em alguns momentos acho que realmente é impossível se concentrar. Então só funciona uma pausa mesmo. Tá com sono? cochila uns 15 minutos. A atenção volta nova em folha! Ou toma água, respira fundo e se alonga um pouco. Também funciona. :)

    Professor, obrigada por estar dividindo estes conhecimentos conosco! Estou aprendendo muito e consegui elaborar um bom plano de estudos baseado nas suas dicas! Parabéns pela iniciativa!

  4. flávio disse:14 ago 2012 às 3:55 pm · Responder

    Uma forma de combater a preguiça que me utilizava era respeitar os horários estabelecidos no meu plano de estudo. Depois do trabalho, chegava em casa, comia, descansava um pouco e, exatamente na hora marcada, nem 5 minutos a mais ou a menos, começava a estudar. Uma vez começado o estudo, estudava com atenção, acuidade, e a preguiça passava.

  5. Isabelle disse:14 ago 2012 às 5:23 pm · Responder

    Otimo texto, mestre ! Por diversas vezes nos sentimos assim ! A solução é manter o foco aonde se quer chegar, como quer estar daqui a um tempo !!! Quando a pessoa nos tem um plano, fica mais difícil de se manter nessa caminhada que é a aprovação no concurso publico !! Seus textos são ótimos, parabéns !!!

  6. Enéas Barretto' disse:14 ago 2012 às 5:25 pm · Responder

    Comecei em 2009 a minha preparação para concursos, no primeiro ano só fazia estudar não trabalhava, em 2010 comecei a advogar com um amigo meu porém com pouquíssima demanda, continuando meus estudos. Em junho de 2011 comecei a trabalhar um turno (matutino) no escritório de meu tio e continuo até hoje. Já fiz vários cursos preparatórios, me classifiquei em alguns concursos (MPU e TRF1) mas venho me desanimando bastante ultimamente.

    Meu sonho é ser membro do MP, mas nunca foquei exclusivamente nele. Já fiz todo tipo de concurso! Da ESAEX à Analista tributário da Receita, passando por MPU, MP/BA, MPF, AGU e PFN. Estes dois últimos foram as minhas últimas provas que por sinal fiz muito mal ambos!

    Apesar de ter a tarde e parte da noite pra estudar, e sei que isso é tempo pra caramba, não tenho conseguido por em prática meus planos de estudo. Tudo chama minha atenção menos o estudo. Muitas vezes não acredito que sou capaz de ser um Promotor de Justiça ou Procurador da República. Realmente não sei o que fazer.

    Professor Rogério qual conselho você me daria?!
    Abraço.

  7. Nilcéa disse:14 ago 2012 às 5:32 pm · Responder

    Não tenho preguiça, aliás, pode parecer estranho, mas gosto de estudar. Entretanto, o baixo rendimento nas provas acaba por me desanimar. Penso que não vale a pena torrar dinheiro à toa em inscrição. Estudei por 2 anos e 1/2, com plano de estudo, mas nada. Acredito que o problema pode ser emocional. Sempre acho que não conseguirei. Aliás, penso que todos conseguem menos eu. Em época de prova já entro derrotada, logo, o psicológico fica abalado. Faz 1 ano que não me dedico aos estudos para concurso. Confesso que às vezes penso em retomar. O que sugere nesse caso?

    • Leonardo Peterson disse:16 ago 2012 às 11:09 pm · Responder

      Nilcéa, acredito que seu problema seja de fato psicológico mesmo.Aconselho buscar ajuda pra tratamento mental. Não é nenhum problema isso, todos nós temos problemas mentais. E tenha certeza de que se realmente o problema começa por dentro é quase conseguir resolver qualquer coisa… Busque sua melhora o mais rápido. Experiencia própria.

    • Simone Dias disse:17 ago 2012 às 7:23 pm · Responder

      Querida Nilcéa,

      Não desista, você tem um dom, ama estudar, isso é raro e precioso.
      Peça sabedoria Divina e tenha fé em Deus e em você, acretide, você é capaz.
      Enfrente seus problemas e anime-se. Sugiro que você caminhe e que tenha bons amigos que te aconselhem e que estudem com você.
      Tenho outra sugestão legal, creio que com essa você vá passar, ensine para uma turma de pessoas que nao tem como pagar cursinho, afinal, quem mais aprende é aquele que ensina. Assim, você estará ajudando os outros e se ajudando ao mesmo tempo. Nao tenha medo da concorrência, em geral, você sempre concorre com você mesma e sua prova. Sua vaga já é sua, em algum lugar em algum concurso, só resta vocë se preparar. Todos sao colaboradores e devemos ser colaboradores e compartilharmos do que temos, acabamos ganhando muito com isso, apoio, amizade, respeito e muito amor e gratidao.
      Fique tranquila, você vai passar, é só persistir, em geral as pessoas estudam 5 anos para passar, você ainda nem tem metade disso. Pegue firme, vá em frente e seja feliz.
      Tudo de bom.
      Com carinho,
      Simone Dias, diretamente de
      Brasília, a capital dos concurseiros.

      • Simone Dias disse:17 ago 2012 às 7:27 pm · Responder

        Nossa, agora que reparei, você já estuda 2 anos e meio, entao, já é a metade do que precisa para passar, nao desista, tudo vai dar certo, só depende de você, trabalhe a seu favor e boa sorte!

  8. Pedro Barreto de Figueiredo disse:16 ago 2012 às 3:53 pm · Responder

    Eu tento afastar a preguiça da minha preparação para concurso me motivando por meio de imagens de coisas e lugares que quero ter e conhecer um dia. Por meio de sonhos que tornar-se-ão possíveis de realizá-los após minha aprovação. E ainda, como um combustível extra, costumo assistir o vídeo abaixo como forma de buscar manter meu foco nos estudos e meus objetivos, me mantendo motivado.

    Abração e obrigado por nos ajudar, sempre.

  9. Patrícia disse:17 ago 2012 às 8:54 pm · Responder

    Geralmente estudo com dedicação, tenho preguiça sim, mas consigo vencê-la, exceto nas duas semanas antes da prova, fico mt ansiosa e começo a achar que não vale a pena estudar o q falta em cima da hora ou fazer revisões e exercícios e já decreto q não vou passar. Eu sei que é ridículo, mas ñ estou conseguindo vencer isso.

  10. Felipe disse:19 ago 2012 às 6:12 pm · Responder

    Seria pedir demais para o professor fazer uma compilacao das estrategias para lidar com a preguica dos ja aprovados? (aqueles da coluna Relato dos Aprovados). Rsrsrs

    • Rogerio Neiva disse:20 ago 2012 às 3:15 am · Responder

      Felipe, boa sugestão!
      Vou tentar me mobilizar para isto.
      Abcs!

  11. Fábio disse:10 set 2012 às 6:58 pm · Responder

    Hoje eu pensei em desistir, tem dias que não vou para a aula presencial, até pouco tempo atrás eu estava realmente muito mal, com preguiça e desânimado depois de tantas reprovações, então resolvi correr para o meu refúgio: internet e sites sobre concursos públicos. Inicialmente, vim aqui para ler depoimentos dos aprovados, mas acabei me deparando com este artigo. O fato de uma pessoa escrever para ajudar desconhecidos a realizarem seus sonhos é algo extremamente belo, gostaria apenas de registrar que suas palavras me fizeram erguer a cabeça, obrigado!

  12. Hudson F disse:17 set 2012 às 6:26 pm · Responder

    Bom(a) dia/tarde/noite professor, me identifiquei sim com as outras pessoas acima e realmente é assim, como comigo acontece, dá vontade de fazer qualquer outra coisa, namorar, jogar no computador, dormir, ver televisão, qualquer coisa menos ler … Não é que leitura seja chato, mais parece que ela nao produz aquele mesma quantidade de prazer, do que outras coisas, pois até onde eu sei sentimos prazer atraves de neuro-transmissores que o cérebro produz né ?
    E a leitura nao causa isso, meu professor de direito já me falou que quando aprendemos a amar a ler “sentimos orgamos multiplos” (descupa pela frase) com o conhecimento, mas é isso ai.
    Queria saber, como sentir mais prazer na leitura ? Não quero fazer parte daquele indice que brasileiros leem 1 livro a cada ano ¬¬”.

  13. Matheus disse:20 set 2012 às 1:11 pm · Responder

    ótimas dicas!!

  14. Matheus disse:20 set 2012 às 1:11 pm · Responder

    Obrigado e parabéns pelo espaço!!

  15. Adriana disse:26 out 2012 às 8:38 am · Responder

    Acho que pior que a preguiça é o cansaço. Na maioria das vezes, não estou com preguiça, mas sim com cansaço, esgotamento físico e mental, que impede a assimilação de qualquer assunto. Quem trabalha o dia inteiro sabe do que eu estou falando…

  16. Gabriela disse:26 out 2012 às 1:02 pm · Responder

    Ultimamente, tenho sentido preguiça pra estudar pq estou ansiosa com duas nomeações prestes a sair… :S

    • Reinyxon Iglésias disse:27 out 2012 às 2:08 pm · Responder

      Eu também estou passando por isso. Depois que eu passei num concurso, fiquei desmotivado, com preguiça de estudar pela ansiedade e expectativa de ser nomeado no concurso que passei. Com isso estou há mais de 4 meses sem estudar direito.

  17. Edvane Maria disse:26 out 2012 às 2:19 pm · Responder

    Prof. ótimo texto. Gosto muito de estudar porém, ainda não consegui passar no exame da OAB, passo na primeira fase, na segunda fase faço curso, estudo muito em casa, porém na hora da prova , sinto-me confusa não consigo externar tudo que aprendi, e sei que conheço o assunto. Creio que é o medo de fracassar mais uma vez. Sinto vergonha da minha família, principalmente dos meus filhos, pois eles graças a Deus, são bem sucedidos.

  18. Marcia Oliveira disse:26 out 2012 às 2:33 pm · Responder

    Olá, Professor!
    Esse tema é muito pertinente a nós concursandos.
    Eu particularmente percebo que a preguiça bate quando minha autoestima está baixa. Eu constatei isso, pois eu faço terapia com abordagem comportamental e recomendo a todos.
    Acredito que cada pessoa precisa de se conhecer mais e descobrir suas vulnerabilidades.
    Para enfrentá-la, eu faço na minha mente uma reflexão ou projeção do quanto isso pode me prejudicar, por exemplo, eu estou morando com meus pais após um divórcio e não vejo a hora de ter meu canto, então, eu imagino como vai ser ele. Percebo que minha mente vai me direcionando e vou sentindo vontade de sair da situação atual que vivo. No meu caso, a preguiça vai embora na hora!
    Retomo meus estudos focada em alcançar meu objetivo.
    Cada um precisa identificar o que motiva a preguiça: narcolepsia, baixa autoestima, auto-sabotagem etc.
    Um grade abraço.
    Marcia.

  19. rita de cassia villa nova de sousa disse:26 out 2012 às 3:51 pm · Responder

    Ultimamente tenho sentido esse problema. Gostaria de mudar, mas as correções das provas feitas de maneira desrespeitosas.inclusive indo contra o que está escrito nos Tribunais,tem provocado descrédito para as próximas preparações. Um exemplo são as provas da OAB que se utilizam de critérios poucos convencionais da Banca Examinadora. Uma delas é posição minoritária de correntes doutrinárias adotadas pela mesma. Com isso, o candidato chega a exaustão e ao desânimo. Aprendemos que as correntes doutrinárias devem ser analisadas e observadas; o que não ocorre. Quanto a divergência e há empate deve- se utilisar o critério mais benéfico. É assim até mesmo nos Tribunais Superiores.
    Atenciosamente,
    Rita Villa Nova.

  20. Tádebrinks disse:26 out 2012 às 7:05 pm · Responder

    Não li essa matéria.
    Muito grande,e eu estava com preguiça de ler.

  21. Felipe disse:26 out 2012 às 10:08 pm · Responder

    O meu problema era o video-game, computador em casa, como tenho grande necessidade de alimentação (o que me impede de sair de casa e estudar em outro local), antes de meu irmão ir trabalhar ele leva todos os cabos para casa e só terei acesso a internet e games após o retorno dele (após as 20h00). Eu sei que pode parecer besteira, mas foi essencial para conseguir com o meu plano de estudos, pois consegui conciliar o meu planejamento com lazer diariamente.

    RECOMENDADO!!!

  22. Leonardo disse:1 nov 2012 às 9:34 pm · Responder

    muuuito legal o texto que acabei de le, muito produtivo, e se quer saber
    nem sei de onde tirei vontade e disposição para le-lo.
    tenho priguiça mas nem tanto para ler,
    parece que só leio por aquilo que eu gosto mais as outras coisas eu nem ligo
    nnhhh!!! gostaria de mudar isso.
    valeu um abraço
    tchal!

  23. Marcos Santos disse:13 dez 2012 às 7:36 pm · Responder

    Eu tenho muitas dificuldades em aprender,porque eu não tenho
    ainda um fundamento para estudos de forma contínua e que não
    fique chato a obrigação de estudar todos os dias sem companhia
    e com muita preguiça.

  24. Pedro Dias dos Santos disse:16 dez 2012 às 8:21 pm · Responder

    Será que a preguiça nos estudos muitas vezes não esconde uma falta de maturidade para lidar com as conquistas, com as vitórias, com uma evolução profissional ou pessoal que ainda o candidato do ponto de vista emocional e psicológico não tem condições de lidar ?

    Creio que essas questões também podem vir ao debate para apoio aos candidatos a concurso !

    Abraço

  25. Lukas Wookolovi disse:30 dez 2012 às 7:26 am · Responder

    Fiquei com preguissa de ler ‘–’

    • Rogerio Neiva disse:30 dez 2012 às 11:16 pm · Responder

      Escrever “PREGUISSA” pode ser fruto da PREGUIÇA de leitura.
      Se for o caso, e não mero e compreensível erro material, considero que há um problema, o qual exige solução e iniciativa.
      Inclusive diante da hipótese de ser o caso de disgrafia, o que afastaria a hipótese de preguiça e falta de disposição para o esforço que a leitura exige.

  26. Adelânia Oliveira disse:23 jan 2013 às 4:26 pm · Responder

    Eu estou adorando seus textos, pois sou estudante do ultimo semestre de economia e tenho pensado muito em seguir carreira em algum órgão público. Sou estagiária na CVM e meus colegas de trabalho tem me ajudado muito a tomar tal decisão. Nunca me dediquei muito aos estudos, sempre fui boa aluna, tenho médias altas mas era só isso, nunca tive de ir além como agora se eu realmente quiser seguir este caminho. Ainda não montei um plano nem uma estratégia, mas estou lendo muitos depoimentos com dicas do que fazer e principalmente do que não fazer. Separei uma bibliografia, estou lendo aos poucos pra criar gosto, já me inscrevi numa academia de dança que é algo que me dá prazer e será meu tempo de recuperar as energias. Tenho fé que em 2 anos passarei em um ótimo concurso e darei meu depoimento também.

  27. Lucy disse:7 jun 2013 às 4:04 pm · Responder

    Em meu caso, não sei dizer se é preguiça. Eu tenho percebido que estou trocando, ultimamente, o dia pela noite. E isso, me deixa muito mal; perco a produtividade quando vou estudar de madrugada. Estou tentando dormir mais cedo e acordar mais cedo, mas está super difícil, confesso. Ontem, fui dormir às 3 horas da madrugada e hoje, me levantei às 11hs!! Me sinto um lixo! Não estou sabendo como reeducar o meu sono. E quando vou estudar, sinto que estou cansada (mesmo não trabalhando, dormindo tarde e acordando tarde).
    Por favor, professor Rogério Neiva, me dê uma orientação!

    Abraços

  28. Enila disse:30 mai 2014 às 3:51 pm · Responder

    Bem… Por onde começar… Nem sei mais, pois sou concurseira há 2 anos e sei que sou relativamente nova (29 anos) mas já está batendo o desespero, pois preciso de estabilidade financeira para me manter e a minha família e não tenho faculdade (mais um motivo para me jogar nos concursos, daí tenho como fazer uma faculdade) e me sinto cansada, pois bati na trave nos últimos 4 concursos que eu fiz e quero muito passar. Meu problema é que perco a concentração e estou dormindo pouco, tendo que levantar as 05:45 pra chegar as 08:00. Fico muito cansada e vai me dando sono e pra variar, faço preparatório para concurso a noite, daí chegando em casa só ás 22:45, 23:00. O que fazer? Como fazer para driblar todas estas adversidades?

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Motivação para Concursos Públicos e Gestão Emocional: Top Posts 2012

Deixe um Cometário