Qual a Meta de Páginas por Dia de Estudo?

Por  •  3 abr 2012  •  Como se Preparar, Planejamento de Estudos  •  8 Comentários
concursos públicos metas de páginas por dia planejamento de estudos estratégia como se preparar como passar

Muitos candidatos a concursos públicos se preocupam com a quantidade de páginas por dia. Alguns atribuem um valor excessivo a esta preocupação, por vezes vivenciando angústias e até desespero.

É bem verdade que não há verdades absolutas em relação a nada na vida, principalmente quanto ao que envolva a natureza humana e, de forma mais destacada, os fenômenos cognitivos. Mas não se pode negar que existem pessoas que passaram em concursos públicos se orientando por metas de páginas por dia. E a estruturação de um planejamento de estudo baseado em tais parâmetros, inegavelmente, proporciona precisão gerencial, bem como monitoramento e controle da execução.

Porém, algumas considerações e alertas se fazem necessários.

O primeiro é que, como tudo na vida, preocupações excessivas e além do limite do razoável nunca são recomendáveis. Inclusive, a depender do nível e da situação, tal fenômeno pode ser classificado como uma patologia psicológica. Portanto, não é bom que nada no processo de preparação para o concurso público seja objeto de preocupação excessiva, tal como uma paranóia, até mesmo assumindo características de transtorno obsessivo e compulsivo.

Mas um dos aspectos relevantes acerca da reflexão sobre a quantidade de páginas por dia consiste não no resultado quantitativo, mas qualitativo. Isto é, mais importante do que a quantidade de páginas estudadas trata-se da qualidade, em termos de eficácia cognitiva do estudo realizado.

E o que isto significa? Ou seja, o que é eficácia da aprendizagem?

Existem várias teorias, modelos e paradigmas para a compreensão do fenômeno da aprendizagem humana. Inclusive, a aprendizagem consiste numa função cognitiva secundária, para a qual é necessária a mobilização da concentração e memória, enquanto funções cognitivas primárias.

Mas para o fim do presente texto, vamos considerar como eficácia da aprendizagem o estudo de uma determinada página que resultou na compreensão, apropriação e disponibilidade intelectual do objeto de conhecimento abordado nesta mesma página. Em termos práticos, isto significa que, caso sejam cobradas na prova aquelas informações, você terá condições de responder a questão.

Portanto, isto é o mais importante.

Porém, nada impede e é saudável que você tenha consciência, acompanhe e monitore como está o seu estudo, em termos de quantidade de páginas. E para isto é preciso contar com algum parâmetro quantitativo.

No caso, é fundamental que tal parâmetro seja estabelecido de forma subjetiva, considerando as suas particularidades. Para tanto, no estabelecimento destes parâmetros quantitativos e subjetivos, é preciso que se considere as suas condições, em termos de capacidades cognitivas, bem como as características e a sua relação com a fonte bibliográfica e matéria que está estudando.

Assim, por um lado, cada candidato tem capacidades cognitivas distintas, o que repercutirá no tempo demandado para a leitura de uma página. Inclusive uma mesma pessoa, a depender do momento da vida ou de estudos, tende a contar com um tempo diferente.

Neste sentido, vale alertar para o espetacular fenômeno da neuroplasticidade, segundo o qual quanto mais o cérebro é demandado, mais amplia a sua capacidade de respostas. Dessa forma, a sua quantidade de páginas tende a mudar ao longo da preparação para o concurso público.

Por outro lado, também para uma mesma pessoa considerada, cada matéria ou fonte estudada pode demandar um tempo e custo cognitivo distinto para o estudo. Isto decorre de uma série de fatores, inclusive relacionados a aspectos culturais e de formação. E fundamentos científicos para sustentar tal compreensão não faltam.

Dessa forma, é fundamental que os parâmetros quantitativos, em termos de metas de páginas ou de referências para avaliar se está indo bem, não sejam ditados por terceiros ou estabelecidos de forma universalizante. Tais parâmetros devem ser subjetivos, individuais e específicos, considerando cada candidato e cada matéria.

E a partir daí é possível construir metas racionais de páginas por dia.

Mas como construir parâmetros quantitativos em termos de metas de páginas por dia? Uma das formas de estabelecimento dos referidos parâmetros consiste na metodologia inerente ao Sistema Tuctor.

Segundo esta, o candidato deve considerar uma página como uma Unidade de Estudos. Conforme o Glossário da Metodologia, a Unidade de Estudo consiste na “menor unidade gerencial do planejamento da preparação para o concurso público. Consiste na célula elementar que permite realizar estimativas e mensurações. Decorre da natureza da Fonte de Estudo. Se a Fonte for um livro ou apostila, a unidade de estudo será uma página, sendo um conjunto de exercícios, será um único exercício, se a fonte for um curso, a unidade será uma aula”.

Além disto, também é preciso contar com outro parâmetro, o qual corresponde ao Tempo por Unidade de Estudo (TUE), consistindo numa estimativa de tempo demandado para uma Unidade de Estudo ou, no caso, página. Vale destacar que no momento inicial é possível que esta estimativa seja pouco precisa, sendo que estimativa não se confunde com certeza.

Mas com os referidos critérios, a metodologia estabelece metas de páginas, conforme as particularidades de cada candidato e para cada matéria.

Porém, ainda conforme o mencionado método, ao longo da evolução dos estudos existe o fenômeno da Equalização, segundo o qual as metas de páginas ou unidades de estudos são ajustadas, conforme o que vem ocorrendo. Isto inclusive neutraliza a possível imprecisão do tempo por unidade de estudo (TUE) apurada no momento inicial.

Contando com tais parâmetros quantitativos, mas de natureza subjetiva, o candidato pode se monitorar, avaliando como avança.

No entanto, é preciso ter responsabilidade. Isto significa não procurar avançar por avançar. Ou seja, ter a certeza de que a página computada como estudada foi, de forma consciente e sincera, efetivamente estudada. Não faz sentido se enganar.

Tendo a referida responsabilidade e seriedade, você pode trabalhar com metas subjetivas de páginas e avaliar como avança.

No entanto, como tudo na vida, sem se escravizar e fazer disto uma preocupação desesperadora, pois o mais importante será sempre o resultado qualitativo e o quanto isto será relevante na prova.

PS1: Clique aqui para baixar o EBOOK sobre Planejamento de Estudos, com os fundamentos e conceitos metodológicos apresentados neste texto

PS2: A iniciativa da elaboração do presente texto foi inspirada em texto publicado no Blog do Prof Edilson Vitorelli, o qual pode ser acessado clicando neste link.

8 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Thiago C. Lima disse:3 abr 2012 às 9:39 am · Responder

    Antigamente eu estudava. Mas, não estudava cada página de maneira que eu retivesse o conhecimento.

    Se tivesse estudado sério desde o início já teria passado em algum concurso.

    Vivendo e aprendendo. É A VIDA!

  2. Lilian Pereira disse:3 abr 2012 às 11:03 am · Responder

    Eu vivia perdida, sem ter idéia do que faltava para estudar e de como avançava.
    Com este método, tendo montado o plano no meu Tuctor, agora sou escrava das minha metas de páginas e unidades de estudo e fico super segura e tranquila.
    Pode até ser paranóia, mas é uma paranóia que me faz bem.
    Aprovo o método! Meus estudos se dividem entre antes e depois do Tuctor entrar na minha vida de concurseira.

  3. Ronaldo disse:3 abr 2012 às 11:05 am · Responder

    Eu também tenho metas e me oriento pelas metas diárias que o Tuctor me dá todo dia. No dia que dá problema e não recebo entro na minha conta para consultar, pois fico todo perdido.
    Abraços a todos!
    Ronaldo

  4. Adriana disse:3 abr 2012 às 11:06 am · Responder

    Olá!
    Esta meta de páginas do método do Tuctor é tudo de bom para o concurseiro não ficar perdido. Eu também sou guiada por elas.

  5. Rômulo disse:25 jun 2012 às 4:44 pm · Responder

    Professor, quando fiz um curso preparatório através do CERS (Complexo de Ensino Renato Saraiva) ganhei o sistema Tuctor. No entanto, já terminei o curso e não consigo editar o sistema para atualizar minhas metas de estudos. O que devo fazer?Fui até bem no início do programa Tuctor, mas a unidade de estudo era a vídeo aula, hoje não faço mais o curso, minha unidade de estudo são os livros, principalmente de resumos, preparatório para o exame de ordem da editora método.Por pouco não consegui preencher todo o sitema Tuctor, estou muito interessado em reorganizar o mesmo.Posso contar com sua ajuda?

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Planejamento de Estudos e Plano de Estudo para Concursos Posts de 2012
  2. Concurso Público: Qual a Meta de Páginas por Dia de Estudo? « Ciranda de Roda

Deixe um Cometário