Depoimento do Aprovado: Promotora Raquel Tiveron

Por  •  17 fev 2011  •  Relato do Aprovado  •  23 Comentários
Relato Aprovado Concurso Público Promotor de Justiça MP Raquel Tiveron

Nome: Raquel Tiveron

Idade: 34 anos

Situação Familiar: Casei-me após a aprovação no meu último concurso, quando      adquiri maior estabilidade financeira.

Cidade onde nasceu: nasci e sempre morei em Brasília.

Cargo atual: Promotora de Justiça do MPDFT há 6 anos e meio.

Formação: Me formei em Direito em 1998 em uma faculdade particular de Brasília.

Concursos aprovados anteriormente: Analista Judiciário (TJDFT), Advogada da União e Delegada da Polícia Federal.

Quando começou a se preparar para o concurso do cargo atual e como foi a preparação: a aprovação no concurso público de Promotor de Justiça foi fruto do conhecimento acumulado ao longo dos anos: ao tempo em que me preparava para os demais concursos, também adquiria conhecimento para o concurso de Promotor. Para ser sincera, não fiz um planejamento estratégico para alcançar meu objetivo (não havia blogs, muito menos o do Professor Rogério Neiva para me ajudar). O meu empenho e dedicação foram muito mais fruto da necessidade (as coisas não andavam muito bem no meu trabalho à época). Era passar em um outro concurso ou passar. Não tive muita escolha. Tentei concursos para carreiras variadas (magistratura federal, magistratura trabalhista e Ministério Público Federal ou do DF), pois o meu objetivo era ter independência funcional e tentar manter o meu padrão de vida. Passei na primeira fase de todos estes concursos, e assim que tive notícia da aprovação na 2a fase de Promotor do DF, abandonei todos os demais.

- assistiu aulas em cursos preparatórios? Sempre estudei por meio de aulas em cursinhos. Nunca tive persistência suficiente para estudar sozinha em casa. Fiz vários cursinhos, de toda sorte: em bloco, por matérias, presencial, satelitário. Foi um grande investimento de tempo e dinheiro, mas sempre muito, muito compensador.

Os professores são muito bons, objetivos e nos dão dicas preciosas para a prova. À medida em que frequentava as aulas, aprendia e acumulava conhecimento para o concurso seguinte.

Contemplei minha preparação com a revisão diária das aulas, tomando o cuidado de não deixar acumular. Isso foi essencial, pois consolidava o que foi visto em sala. Nem precisava recorrer à doutrina em livros, as aulas eram suficientes.

- estudava em biblioteca? Para rever os escritos, recorria às bibliotecas, onde há silêncio, espaço para concentração e vemos outros concursandos se preparando. Isso me motivava bastante (eu não era a única a passar meu fim de semana ali).

- estudou em grupo? Trocava algumas ideias e dicas com os colegas. Na biblioteca, tinha o cuidado de não gastar as preciosas horas de estudo conversando no café, pois isso me distraía (eu que adoro uma boa prosa). Por esse motivo, meu estudo foi quase sempre individual e não em grupo. Estudava a qualquer hora do dia em que tivesse uma chance: uma leitura na hora do almoço, na espera do ônibus, onde estivesse.

- estudava quantas horas por semana? Eu fazia cursinhos durante a semana à noite e nos sábados e domingos, de manhã e à tarde. No fim de semana era quando eu mais estudava, pois era quando tinha mais tempo, pois não podia deixar de trabalhar. Se não havia uma turma aberta em um curso no domingo, eu estava na biblioteca.

Lazer, no máximo um cinema no sábado ou domingo à noite, pois se fosse para a balada, meu estudo no outro dia estaria comprometido. Houve anos em que datas como natal, ano novo ou carnaval não significaram nada para mim, pois eram próximas a provas e eu só pensava nelas. Além de não ter fim de semana, concursando não tem férias ou feriado se as provas estão próximas.

Houve momentos de desânimo? O maior momento de desânimo era durante a reprovação na segunda fase destes concursos: passar na primeira é fácil, mas tem hora que a gente “emperra” na segunda e parece que nunca vai sair de lá. Estamos muito bons, bastante afiados, mas o examinador pergunta algo que só ele viu em algum lugar muito esdrúxulo e se você não adivinhar o que ele quer ouvir…adeus! Só no concurso do ano que vem.

Conselhos aos candidatos: Um conselho que eu daria para os candidatos que estão começando é: pergunte-se se é isso mesmo que você quer (aprovação em concurso público) e o quanto você está disposto a fazer e a abdicar para alcançar isso. Se a entrega não for total, melhor não desperdiçar seu tempo. Aproveite-o bem com a família, amigos, fazendo o que gosta. Nem se preocupe em estudar um pouco, ou mais ou menos para passar em concursos, pois não existe preparação pela metade. Ou você  será aprovado nele ou não. Não há meio termo.

Se você já está estudando ou este é mesmo o seu objetivo, eu digo: não desista, amigo, você vai conseguir. Vai ser só uma questão de tempo, que vai depender do seu empenho, dedicação e comprometimento. Quanto mais desses elementos, mais rápido o resultado virá. E claro, se a preparação for bem orientada e planejada, como aconselha o Prof. Rogério Neiva, o resultado é garantido só que de forma muito mais tranqüila e satisfatória.

Considera que tanto esforço vale a pena? E como! Sabe aquelas férias, feriados, aquele tempo com a família e com os amigos que o concursando não teve? Eles agora são muito valorizados, curtidos intensa e tranquilamente e com uma sensação de merecimento, após uma árdua tarefa cumprida.

23 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Cláudia disse:17 fev 2011 às 4:37 pm · Responder

    Amei o depoimento da Dra! A conclusão é que todo sacrifício compensa!!!
    Obrigada!!!

  2. Jeferson disse:18 fev 2011 às 12:36 am · Responder

    sensacional! parabens

  3. jucadonorte disse:20 fev 2011 às 11:53 pm · Responder

    A parte que valeu o todo: “[...]mas o examinador pergunta algo que só ele viu em algum lugar muito esdrúxulo e se você não adivinhar o que ele quer ouvir…adeus![...]“.

    Até o início do mês eu poderia pagar um bom curso preparatório, mas hoje só as contas básicas de infraestrutura já são um desafio rsrs

    Então persisto pela busca da disciplina em ter que aprender sozinho em uma biblioteca :)

    Parabéns Raquel!

  4. Marco Aurélio Marques Félix Filho disse:30 mai 2011 às 2:06 am · Responder

    Parabéns Dra. Raquel! Ao final todo o empenho e dedicação são recompensados.
    Formei em Direito em dezembro de 2008. Em seguida, especializei-me em Direito Processual Civil e em Direito Material e Processual do Trabalho. Tenho advogado no seguimento empresarial. Mas minha paixão são as carreiras públicas. Admiro a Magistratura Trabalhista e o Ministério Público. No início deste ano (2011) resolvi dedicar parte do tempo que não o trabalho aos estudos e me matriculei em um curso jurídico preparatório para carreiras federais. Infelizmente tal curso não tinha organização alguma e acabei resilindo unilateralmente o contrato. Desmotivei nos estudos. Através do blog do Dr. Rogerio me animei e em agosto inicio em outro curso sendo certo que elaborei uma programação de estudos em casa e já os começei. “A qualidade do vencedor é nunca desistir”. Sucesso a todos!
    http://www.fesmpmg.org.br/cursos_listar.php?idCurso=34

  5. RIta disse:25 jan 2012 às 2:05 am · Responder

    Estudo pra concurso público desde os 18 anos (agora estou com 24) e há 3 anos consegui meu objetivo, um concurso que eu queria muito, mas é só um “concurso meio”. Antes dos 21 anos já tinha passado em 5 concursos públicos (com 40.000, outro com 120.000 e até um com 160.000 candidatos).

    Achei legal ela ter dito uma frase que eu dizia no cursinho, do alto dos meus 18 anos (rs): NÃO ADIANTA ESTUDAR PELA METADE!

    Vi algumas pessoas dizendo ” Vou curtir o fim de semana, a vida não é só estudo”. Resultado: passei e eles não.

    Estou na faculdade de direito e desde o primeiro dia já me foquei no concurso que quero (isso é bem importante): Promotora de Justiça (SP, MG ou qualquer estado da Região Sul)

    Tendo a achar que estes concursos são pra quem tem dinheiro para se preparar… Mas quer saber? Isso não vai me fazer desistir.

  6. Raissa Kelly disse:28 fev 2012 às 2:05 pm · Responder

    tenho 17 anos e ja to pensando em começar a mi preparar… eu tbm nao desistirei e com mto esforço e estudo se Deus quiser vo consequir a conquista os passos da Raquel Tiveron *—*

  7. Cruvinel disse:22 mar 2012 às 12:12 pm · Responder

    Dra. Raquel Tiveron,

    Parabéns pelo seu depoimento. Só quem passou por todas essas dificuldades é que sabe. É um exemplo a ser seguido. Tive a imensa satisfação de ter conhecido como AGU. Saudades!

    Um grande abraço do

    Cruvinel

  8. Luana disse:12 jul 2012 às 7:53 pm · Responder

    Professora,
    Tomo a liberdade de assim chamá-la, pois me deste aula de Direito Penal em 2004 no Uniceub. admirava uma moça tão nova já com um notável cargo público.
    Hoje tenho 28 anos, me formei, passei na OAB, fiz pós graduação, abri um escritório, e depois de dois anos de funcionamento resolvi fechá-lo. Depois de viver três anos militando, cheguei à conclusão de que queria na verdade um emprego público.
    Comecei a me preparar, mas estou com receio. Almejo cargos altos como o de Juíza ou Promotora, Procuradora etc.. Fico com o medo que todos têm de não passar.
    Você é um exemplo para mim!
    Parabéns.
    Abraço,
    Luana.

  9. William Braz disse:21 ago 2012 às 8:50 am · Responder

    Muito bom o depoimento da Promotora! Parabéns pelo blog Professor Rogério.

  10. Dani disse:27 set 2012 às 11:56 pm · Responder

    Ótimo depoimento!

  11. Dani disse:27 set 2012 às 11:56 pm · Responder

    Parabéns e sucesso!!

  12. fernanda disse:5 nov 2012 às 11:58 am · Responder

    Até chorei. Acho que foi Deus que me mandou aqui. Quantas vezes eu escuto que devo parar de estudar e arrumar um emprego logo pois “estou perdendo tempo”. Infelizmente esse tipo de frase tem um impacto muito grande em mim. Mas hoje, lendo o depoimento da Promotora, percebi que é isso que quero. Tenho 2 filhos pequenos e sempre fico com pena deles pois me dedico mais aos estudo do que aos meus filhos. Agora entendi que no futuro serei recompensada. Basta continuar no caminho, estudando e batalhando. Obrigada promotora.

  13. Francisco de Assis Magalhães disse:17 dez 2012 às 6:05 pm · Responder

    Drª Raquel Tiveron:
    Parabéns pelo sucesso atingido. Sua eloquência e suavidade com vernáculo uniforme, além do sorriso perene e cativante, deixa-nos alvissareiros quanto à equidade do artº. 5º da Carta Magna. Creio que os telespectadores da TV Justiça, ficaram muito felizes com sua fala no programa Iluminuras( de 30/11 p.p.). Este deveria ser inserido na programação das emissoras públicas. Ademais, muitos percorreram sua trajetória vencedora e repudiarão a ‘arrogância da vitaliciedade’ e ‘ascultarão’ agonia dos mais humildes. Por fim, gostaria de obter informações sobre seu dileto filósofo francês Emmanuel Lévy Nair, salvo engano. Feliz Natal.

  14. Janaína Mota disse:25 dez 2012 às 5:06 pm · Responder

    Parabéns! Fatos como este que nos motivam a não desistir de nossos sonhos.

  15. Isis Neiva disse:15 fev 2013 às 3:24 am · Responder

    Parabéns primona! Me orgulho muito de você, quer dizer, toda a família! Você merece tudo de bom.

  16. Pâmela Porto disse:20 fev 2013 às 4:05 pm · Responder

    Bom, farei 17 anos esse ano e pretendo engressar na carreira jurídica, mas fico com receio pois condições financeiras não tenho e quero alcançar o cargo de Promotora. Sei que vou conseguir por que tenho Deus e muita fé, só preciso de mais otimismo, mas Parabéns e obrigado por este depoimento motivador!

  17. Renato Irajá disse:3 mai 2013 às 8:33 am · Responder

    Conheço tanto a Raquel Tiveron quanto o Rogério Neiva, ambos foram meus colegas de faculdade e ambos sempre foram muuuuuito dedicados ao estudos. É isso aí, o sucesso não vem de graça, depende de esforço. Parabéns aos dois. Hoje são exemplo a todos os concursandos do Brasil.

  18. Gilberto disse:16 mai 2013 às 4:24 pm · Responder

    Gostaria de uma dica sobre um bom preparatório para magistratura, mp em Brasília. Grato.

  19. Gustavo Aguiar disse:22 jun 2014 às 12:29 pm · Responder

    Muito bom o relato da Dra. Hoje sou servidor público federal e advogado, mas para o alcance desses objetivos segui exatamente o que relatou a Dra., abdiquei, foquei e me disciplinei. Sou oriundo de família pobre, não conheci meus pais biológicos, no entanto, isso nunca foi motivo para desmotivação. Formei-me no fim do ano passado, poderia, com isso, já está satisfeito com a minha caminhada, porém, meu sonho é ser promotor. Durante a graduação dei um tempo dos concursos e me dediquei à academia, agora estou me orgazando para os concursos e meu projeto é a aprovação em, no máximo, 05 anos.

  20. Renato disse:3 jul 2015 às 7:07 pm · Responder

    Ouço com frequência pessoas dizerem que o cargo de Procurador do Trabalho é o MELHOR do Brasil, alguém pode me explicar o motivo?

  21. Igor Coelho disse:21 out 2015 às 11:05 am · Responder

    Excelente depoimento! Dá um ânimo a voltar a estudar e a se dedicar… Hj sou Agente de Polícia Federal, porém tenho vontade de continuar a estudar e tentar algo melhor.

  22. Maria disse:15 dez 2015 às 10:40 pm · Responder

    Parabéns, Drª Raquel. Sempre tive o desejo de ser juíza federal (Justiça do Trabalho) e me preparo para isso já desde antes de começar a faculdade. Tenho certeza que vou conseguir isso antes do que eu imagino depois de acabar meu curso e cumprir o período de prática jurídica que preciso, por seguir seu exemplo.

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Rogerio Neiva | Depoimento do Aprovado: Promotora Raquel Tiveron « GEN Jurídico

Deixe um Cometário