Depoimento do Aprovado: Juiz Leador Machado

Por  •  3 fev 2011  •  Relato do Aprovado  •  44 Comentários
Relato do Aprovado Juiz Leador Machado

Nome: Leador Machado

Idade: 50 anos

Situação Familiar: Casado há 25 anos com Edna, com a qual tem quatro filhos. Taísa, 24 anos, hoje advogada e se prepararando para concurso para área jurídica, Hugo hoje com 22 anos, e fazendo graduação no curso de Direito, Naiara, com 20 anos e cursando psicologia, e Jéssica, com 16 anos e ainda no ensino médio.

Cidade onde nasceu: Patrocínio – MG

Cidade onde mora/lotação: moro desde 1968 na cidade do Gama-DF. Saí dessa cidade sem 2003 para morar na Asa Norte (em Brasília) e estudar. Quando passei no concurso para Juiz do Trabalho fui atuar no Piauí, sendo que minha família ficou em Brasília. Em 2007, já na 10ª Região da Justiça do Trabalho, fui para a cidade de Gurupi no Tocantins, onde permaneci por dois anos e meio, até que surgiu a oportunidade de voltar para o DF e tive a felicidade de ser lotado no Gama.

Registro que na época em que estava me preparando para o concurso público vendi minha casa no Gama para pagar as despesas. Hoje consegui comprar uma linda casa na mesma cidade!

Cargo atual: Juiz do Trabalho

Data da Posse: Setembro de 2006.

Cargos ocupados e atividades anteriores: Meu primeiro emprego foi como torneiro mecânico em uma metalúrgica no Gama, em 1980. Depois, em 1981, prestei concurso para uma bolsa e fiz um curso de Técnico em Radiologia no Hospital Sara Kubstchek. A partir de junho de 2002, passei a trabalhar nessa função no Hospital Regional do Gama, através de concurso público. Trabalhei nessa função no HRG até setembro de 2006, quando passei no concurso para Juiz do Trabalho.

Formação: terminei o curso de Direito em 1993, quando comecei a advogar. Trabalhei como assessor parlamentar e advogado do Gabinete de uma Deputada do PT, de 1995 a meados de 1996, quando assumi o cargo de Diretor do Recursos Humanos da Fundação Hospitalar do Distrito Federal. Em 1999 voltei a advogar e, a partir de 2003, abandonei a advocacia para estudar.

Nessa época fiz uma pós graduação na Fundação Escola do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, curso fundamental para o  meu amadurecimento jurídico. Em 2005 fiz uma outra pós graduação/especialização, onde tracei os meus últimos detalhes da minha preparação para o concurso público da Magistratura.

Nessa época tive a felicidade de rever meu amigo Rogério Neiva, que muito me ajudou na preparação para as fases finais do concurso. Antes também tinha sido aluno do Rogerio na Escola da Magistratura da 10ª Região.

Concursos aprovados anteriormente: Juiz do Trabalho da Décima Quarta Região e da Vigésima Segunda Região.

Data de aprovação no cargo atual: 18.09.2006

Quando começou a se preparar para o concurso atual: em janeiro de 2003.

Como estudou: Com já fazia dez anos que eu não estudava, fiz uma primeira pós graduação, depois um curso na Escola da Magistratura do Trabalho e um terceiro em outro curso preparatório. No mais foi estudar, estudar e estudar individualmente.

- montou planejamento? Não era muito organizado, mas segui o roteiro acima narrado.

– estudou em grupo? não

– estudava em biblioteca? Apenas durante os últimos dias que antecederam à aprovação.

- estudava quantas horas por semana? Cerca de oito horas por dia.

O que faria diferente? fiz o que era possível, dentro da minha realidade e das minhas possibilidades. Não vejo nada a mudar.

Houve momentos de desânimo? Quando fui reprovado na prova oral da Oitava Região, estando em primeiro lugar no concurso e tendo o dinheiro da casa que havia vendido já acabado, cheguei a ficar um pouco desanimado, mas vi que não tinha o direito de chorar, pois não tinha mais como voltar atrás.

Chegou a pensar que não passaria? A partir da mencionada experiência na 8ª Região e superar o baque, comecei a me preparar para ser Juiz e não mais para passar em concurso, pois sabia que era uma questão de tempo.

Principais dificuldades, quais foram? Ter que me isolar, deixar a advocacia, a militância partidária, os amigos, e a família. Algumas pessoas pensavam que eu estava ficando louco. Cheguei a me isolar em uma quitinete e estudar em cima de árvores para não cochilar.

O que fez para superar as dificuldades? Determinação! A certeza de que não poderia voltar atrás, pois as pontes estavam queimadas.

Como soube da notícia da aprovação? A prova que considero mais importante foi a da segunda fase. No Pará recebi o resultado quando estava em Manaus, fazendo prova. Quando abri o site o TRT 8 e vi que estava em primeiro lugar, disparado, uma vez que tinha tirado 7,33 e quem ficou em segundo lugar tinha tirado 6,00, foi uma surpresa e uma emoção indescritível! Na prova de sentença da 14 Região também fiquei em primeiro lugar e recebi a notícia por colegas de concurso em São Luiz – MA. Foi também emocionante! A maior decepção foi da prova oral da 8ª Região, onde eu estava no auditório do tribunal, junto com os colegas de concurso, aguardando o resultado e esperando que ficaria em primeiro ou segundo lugar, tendo sido covardemente reprovado, uma vez que tinha feito uma prova muito boa.  Isso tornou muito emocionante minha aprovação no concurso seguinte, no qual acabei aprovado. Foi um alívio com muita emoção, pois estava fragilizado emocionalmente!

O que fez em seguida? Quando fui aprovado, voltei no outro dia para casa onde comemorei com minha família. Eles estavam também muito apreensivos, pois viram o abalo emocional que foi minha reprovação anterior.

Como foi a comemoração? Foi em família, cumprimos uma promessa feita por minha esposa. Era uma fase muito tensa, pois não tinha mais onde conseguir dinheiro. Foi um grande alívio, aliviou as tensões familiares.

Conselho aos candidatos: O segredo que eu vejo de minha aprovação no concurso público para Juiz do Trabalho foi a determinação. Quando me afastei da vida política, um pouco decepcionado com os desdobramentos da militância, resolvi continuar minha vocação em outra área. Já me identificava com o Direito do Trabalho, pois só advogava nessa área e minha militância era toda voltada para o movimento sindical e a área trabalhista. Me sentia um vocacionado para área e sentia que era onde eu poderia me realizar. Por isso a determinação: iria fazer algo que iria me realizar como profissional e como ser humano. Hoje me sinto plenamente realizado. Valeu todas as privações, todas as dificuldades. Hoje só me sinto na obrigação de devolver tudo o quanto recebi. Por isso minha dedicação ao Projeto Trabalho, Justiça e Cidadania, programa que leva discussão de cidadania e direito do trabalho para escolas da periferia.

44 comentários até agora. Deixe o seu.

  1. Antonio Carlos disse:3 fev 2011 às 7:04 pm · Responder

    Dr Leador, parabéns pela conquista e obrigado pelo relato!
    As suas palavram revelam que por mais sofrida e dura que seja, com determinação conquistamos a sonhada aprovação!
    Também vou me manter determinado, sem desistir!

  2. Carla disse:3 fev 2011 às 7:07 pm · Responder

    Adorei esta parte: “Determinação! A certeza de que não poderia voltar atrás, pois as pontes estavam queimadas.”
    Vou levar isto comigo sempre!
    Valeu!!!!!!!

    • Francisco Coelho disse:16 mai 2012 às 11:29 am · Responder

      Carla, estudar em cima de árvores para não cochilar também foi excelente!!!

      • Thiago Marcel Lins Azevedo disse:12 nov 2012 às 5:34 pm · Responder

        Sem dúvida!!

  3. Soraia disse:4 fev 2011 às 2:38 pm · Responder

    Mais um aluno do Prof Neiva que passou no concurso!
    Um dia vou estar nesta lista!!!!

  4. Carlos Aimar disse:7 fev 2011 às 2:48 pm · Responder

    Ainda estou no 4º ano, mas relatos como este só me dão mais coragem e muita determinação de atingir meus objetivos, obrigado Dr. Leador por esse magnífico exemplo.

  5. Marcelo Souza disse:8 mar 2011 às 7:58 am · Responder

    Resposta impactante:

    O que fez para superar as dificuldades? Determinação! A certeza de que não poderia voltar atrás, pois as pontes estavam queimadas.

    Pontes queimadas… vou refletir muito sobre essa expressão!

    Muito obrigado EXCELÊNCIA!

  6. Rodrigo Lucas disse:12 abr 2011 às 12:23 am · Responder

    Muito obrigado, Dr. Leador pelo seu depoimento. Também sou casado, tenho 02 filhos e estou vendendo uma casa para prosseguir nos estudos para Magistratura do Trabalho. Estou há 02 anos na estrada mas acabo de aprender (não sei nem como vim parar nesse site), que não posso mais voltar atrás, pois tb tenho queimado pontes “todos os dias”.
    Obrigado por me fazer perceber que devo continuar…..

    Rodrigo Lucas

  7. Antonio Alencar disse:25 abr 2011 às 1:01 am · Responder

    Parabéns pela vitória.
    Muito bom depoimento.
    Eu estou começando a dar os primeiros passos da minha caminhada rumo ao meu objetivo, a magistratura do trabalho.
    Eu tenho 24 anos, e não quero estudar para concursos menores no início como alguns aconselham, eu quero buscar desde já aquilo que eu sei que é o que eu mais quero na vida, profissionalmente.
    Eu queria saber como você estudava, digo em relação a aulas e materiais de “cursinhos”, livros, jurisprudência…
    Acho que o começo é uma fase dificílima, a gente tem apenas uma base das matérias e tem uma vaga noção do quanto ainda tem que estudar.
    Mas eu estou disposto a abrir mão de muita coisa durante alguns anos para atingir meu objetivo maior, usando a sua metáfora eu estou começando a queimar as pontes que estou ultrapassando, a cada passo que eu dou aumenta a certeza de que não posso mais voltar atrás e a vontade de chegar à aprovação.
    Espero poder, daqui a alguns poucos anos (se DEUS quiser), estar relatando minha trajetória assim como você.
    Um abraço

  8. edson cunha disse:13 ago 2011 às 11:27 pm · Responder

    Sr. é um homem de coragem e determinação pois é um exemplo para todos nós e para min que estou me preparando para concursos

  9. José Pedro disse:11 out 2011 às 11:23 pm · Responder

    - E tem gente que não acredita na força da palavra “determinação”!
    - Parabéns a você Dr. Leador Machado, o seu depoimento é valioso para nós que estamos na estrada dos concursos.

  10. MÁURIA FRANCO disse:6 nov 2011 às 11:30 pm · Responder

    Dr. Leador, ontem, aqui em casa, ouvimos sua entrevista no rádio, e minha filha procurou na internet, o seu depoimento exemplificador de força, garra e determinação. Penso que isto fará diferença na vida emocional e no estresse de muitos estudiosos que querem alcançar a sua aprovação em concursos.
    Obrigada pela sua valiosa contribuição.
    Máuria Franco – Psicóloga/Acupunturista

  11. JOSE LUIZ RODRIGUES DE OLIVEIRA disse:6 dez 2011 às 11:13 pm · Responder

    Na qualidade de cortador de Cana,em que não havia outra oportunidade senão aquela, quero parabenizar à todos estes Magistrados que deram estes depoimentos,que Deus é de consagrar a todos e a todas.
    Tenho passado por este cálice pouco saboroso, mas continuo estudando muito.
    Formado em ciências Jurídicas, especialista em processo do trabalho,MBA, em gestão de empresa, e mestre em gestão de negocio pela Fundação Getúlio Vargas, e hoje fazendo o curso para carreira de Juiz Federal.
    Presidente do Tribunal Internacional de Justiça e Conciliação.

  12. Carlélia Fernandes disse:8 jan 2012 às 10:35 pm · Responder

    Dr.Leador
    Parabéns pela suas vitórias.
    Um vencedor trás dentro de si a certeza de continuar.
    É a questão do tempo.
    Nasci no Gama e sempre vivi aqui e já o conhecia pelo nome e quis cumprimentá-lo.

  13. Greyce Kelly disse:26 mar 2012 às 3:02 pm · Responder

    Parabens.. muito linda a história…

  14. Claudete Lima de Souza disse:21 abr 2012 às 12:48 am · Responder

    Magnífico este depoimento. Também estudo para ser Juiza e sei o quanto temos que ser persistentes, otimistas e guerreiros. Estes depoimentos para mim tem um valor enorme e percebo que todos aqueles que almejam pelo um futuro, um sonho como este do Dr. Leador Machado, tem que sempre estar muito motivado e, estas motivações, primeiramente, temos que buscar dentro de nós e colocar em nossa mente aquilo que tanto almejamos, mergulhar nesse objetivo, nos imaginar juizes e pensar que nosso sonho a cada dia está mais perto de ser realizado. Acima de tudo a nossa maior força é Deus, é dele que precisamos, não só nesses momentos, mas em qualquer momento de nossas vidas, pois a fé também faz parte dessa trajetória. Parabéns a todos aqueles que continuam na luta e jamais desistem, pois vencedor é aquele que sabe encarar as dificuldades da vida, é aquele que não se deixa levar pelas fraquezas, é aquele que quando tropeça e cai, levanta de cabeça erguida rumo a sua vitória. Um grande abraço.

  15. Maria Clara Vale disse:25 abr 2012 às 9:44 am · Responder

    Muito bonita sua história Dr. Leoador. Nela, DETERMINAÇÃO e DISCIPLINA foram as palavras de ordem. Sou do PI, de uma cidade do interior e estou no DF em busca do mesmo objetivo que você. Estou deixando meu escritótio, fechando na verdade, e minha família para daqui a alguns anos dar meu testemunho assim como você. Ver histórias como a sua são como um motor que nos impulsiona. Parabéns!

  16. angelica disse:27 abr 2012 às 7:35 pm · Responder

    Como é bom ouvir história como essa.Com 41 anos me sinto “velha” para realizar meu sonho, a magistratura.Lendo esse relato me sinto mais forte para continuar.Obrigada Dr Leador!!!

  17. Mylena coelho disse:29 mai 2012 às 10:08 am · Responder

    Muito interessante sua história. Também pretendo me formar para ser uma excelente juiza.

  18. Cleia Maria de Albuquerque disse:5 jun 2012 às 11:20 pm · Responder

    Parabéns! Excelência,
    são na verdade estes depoimentos que nos impulsionam a buscar os nossos objetivos por mais distantes e difíceis que possam estar, lendo o seu depoimento
    motivei ainda mais a buscar esta carreira, pois toda vida desde criança carrego este sonho, acabei de vencer o Exame de Ordem , e estarei com ajuda de Deus entrando no campo de guerra novamente para alcançar este mérito que é a magistratura do trabalho.Muito obrigada, pela sua determinação e pelo seu exemplo, creio que, a partir dele nascerão muitos juízes e juízas.

  19. wilson dias barbosa disse:30 jun 2012 às 9:17 pm · Responder

    determinação é palavra chave parabens

  20. Silvia Barros disse:3 jul 2012 às 5:15 pm · Responder

    Dr. Leador, foi tremendo o que aconteceu com você. Que coragem, que determinação. Isso me fez ver que as coisas quando estão no projeto de Deus, ninguem pode impedir. Parabéns pela família, conheço a Taísa , viajamos juntas para SP, ela é uma flor!

  21. Marcos Rocha Muniz disse:6 jul 2012 às 3:20 pm · Responder

    Parabéns, parabéns e obrigado a Deus por você existir e ser um instrumento dele para animar-nos a não desistir de nossa caminhada. Também quero ser juiz, sua experiência foi de grande valor.

  22. jean werner disse:11 out 2012 às 9:36 pm · Responder

    Meus parabéns doutor pela coragem, determinação e ousadia. És um grande vencedor, pois venceu seus medos e frustrações. Avante guerreiro da luz!!!

  23. Marcelo Moreira disse:19 nov 2012 às 3:05 pm · Responder

    Parabéns Dr. Leador, sinto-me confiante para prestar o concurso para a magistratura quando me formar (com 41 anos!). Sou funcionário do Judiciário paulista, com muito orgulho, e sei de minha capacidade para integrar a corte bandeirante!

    “Sorte é quando a preparação encontra a oportunidade”.

    Obrigado, Excelência!

  24. Sérgio Roberto Alves disse:26 nov 2012 às 6:23 pm · Responder

    Parabéns Excelência!
    Tenho 51 anos estou voltando a estudar para concurso na área fiscal.
    São exemplos, assim, que precisamos nos espelhar.
    OBS. Temos um outro exemplo belíssimo, o Ministro Joaquim Barbosa do STF.
    Parabéns a toda família. Que Deus nos dê muita coragem e determinação.

  25. Ingrid disse:27 nov 2012 às 7:42 pm · Responder

    Conheço várias histórias para chegar a magistratura e sem dúvidas essa foi a que mais me tocou pelas adversidades. Realmente o sr. nadou contra a corrente e com a idade com 44 anos conseguiu seu objetivo.
    Muito obrigada por compartilhar incentivando a tantos, como eu, a não desistir.

  26. Mariza disse:21 ago 2013 às 9:31 am · Responder

    Não imagina como foi bom ler esse seu depoimento.

    ja vou fazer 42 anos e estudo a uns 6 meses para o ministerio publico estadual, e morro de medo de ficar com a bunda pregada na cadeira o dia todo por 3 ou 4 anos e ser barrada no final por causa da minha idade, você me deu ânimo para continuar, obrigada.

    Não imagina como sofro, preciso me realizar profissionalmente e principalmente me libertar financeiramente, vou por um fim nas humilhações…

    Você foi a luz no fim do túnel…obrigada mais uma vez.

  27. sheila Ribeiro disse:28 ago 2013 às 12:36 am · Responder

    Prezado Magistrado,
    Adorei o seu relato sou aluna do 10º período e sonho com a Magistratura, mas confesso que tenho um pouco de receio por já estar com 47 anos de idade e percebo que a concorrência é grande , os candidatos muito jovens e com uma certa experiência.
    Ainda assim seguirei em frente, assim que me formar farei pós graduação e quem sabe um curso para magistratura.
    Sucesso, muita saúde e felicidades.

  28. Jair Rodrigues Candido de Abreu disse:12 nov 2013 às 9:08 am · Responder

    Veja que ele disse que foi covardemente reprovado, isso deixa um certo temor quanto à aplicação da prova.

  29. lhorraine cristina de souza carvalho disse:10 dez 2013 às 8:00 pm · Responder

    Eu ainda vouser Juiza e eu tenho fé que eu vou comseguir eu tenho ainda apenas 13 anos mais se Deus quiser eu vo comseguir crecer e se forma em direitos “JUÍZA”

  30. Marcia Mota disse:30 dez 2013 às 12:51 pm · Responder

    Depoimento original e incentivador, estou passando uma situação semelhante, pois pedi demissão do escritório trabalhista, vou começar os estudos pra magistratura do trabalho, espero também
    ter uma história de sucesso pra contar futuramente.

  31. Tiago disse:26 mai 2014 às 4:10 pm · Responder

    Excelente depoimento. Eu acabo de perder na prova oral do MPT do XIX Concurso. Sou do Gama, nascido e criado, mas tenho uma certeza: estou no caminho certo. Deus é fiel!

  32. Tiago disse:27 mai 2014 às 1:14 pm · Responder

    Corrigindo o depoimento, é XVIII concurso. Já estou com o XIX na cabeça e, por isso, acabei escrevendo.

  33. Margareth Nogueira Pacheco dos Santos disse:1 jun 2014 às 2:08 pm · Responder

    Olá, tudo bem! Gostei muito deste site, pois, eu estudo para o concurso público da magistratura trabalhista da 1ª e 3ª regiões (RJ e MG), mas estou desanimando, pois, não consigo passar nem na 1ª fase, fora as outras. Por favor, Dr. Rogério, me forneça informações como passar ou como saber estudar, porque acho que eu não estou sabendo como realizar os meus estudos de uma forma correta, por isso não um bom rendimento nas provas. Atualmente, eu advogo nas áreas cível, família, trabalhista e previdenciária, trabalho muito, sobra pouco tempo para me dedicar, mas não vou desistir, não é verdade? Obrigada. Aguardo contato.

  34. Elaine Gonçalves disse:4 set 2014 às 1:39 pm · Responder

    Gostei muito desse depoimento! Formei-me em Direito e, desde o início do curso, já idealizava ser magistrada. Agora, ao ler essas palavras, senti ainda mais o desejo de ser JUÍZA DO TRABALHO! Principalmente, porque sei como é a luta pelos direitos trabalhistas. Acredito que vou encontrar o meu lugar! A minha carreira! E a exercerei com muita boa vontade e disposição! Ainda serei plenamente feliz e realizada naquilo que escolhi, em Nome de Jesus, que nos dá coragem e determinação para lutarmos! A área trabalhista já me encanta e me encantará ainda mais!

  35. Fernando Machado disse:4 set 2014 às 10:20 pm · Responder

    Boa noite ,
    Tenho 34 anos, estou cursando primeiro semestre de Direito, estou a 14 anos fora da sala de aula e gostaria de saber se tenho chances de um dia me tornar um Juiz, pois ja estarei com a idade um pouco avançada.
    Decidi voltar a estudar a poucos dias, estou com varias duvidas.
    ex: seria melhor eu estar formado aos 23 anos ? ou com a cabeça que tenho agora muito decida ? fazer a faculdade hoje com muito mais experiecia de vida ?
    oque posso fazer para que no final da faculdade eu esteja muito mais preparado doque um adolescente que queira simplesmtente se formar ?
    Parabens Dr. Leador.
    Ficarei muito grato se alguem me responder.

  36. Lucille Queiroz disse:10 out 2014 às 11:33 am · Responder

    Parabéns Dr. pela persistência e por ter realizado seu sonho, sonho que também é meu, mas as vezes penso em desistir pois tenho ja 41 anos, duas filhas sendo uma de 3 e agora voltei a trabalhar, ja estudei muitos anos (comecei em 2007) mas não o suficiente para passar reconheço. Porém não posso passar o resto da vida sem trabalhar só pra ficar estudando se não estou conseguindo êxito por isso resolvi voltar a trabalhar, mas quero ainda voltar a estudar e se Deus me der forças e me permitir passar na prova de magistratura do trabalho, sempre advoguei só nessa área e acho que está na veia ser juíza do trabalho.
    Foi uma honra ver o seu relato.

  37. Elisana Coelho disse:25 ago 2015 às 10:15 am · Responder

    Muito bom o seu depoimento, isso ajuda as pessoas que estão lutando pra passar em um concurso ainda mais quando envolve familia .meus parabens

  38. Andressa de Souza disse:15 set 2015 às 1:10 am · Responder

    Quero me preparar para o concurso da magistratura do trabalho, mas por onde comecar e quais livros ler sao minhas primeiras indagacoes. Gostaria de saber se alguem conhece um curso juridico online aprofundado o bastante para este concurso…

  39. Helena Zimpel disse:6 nov 2015 às 11:14 am · Responder

    Muito obrigada pelo seu depoimento. Serviu como uma luz no fim do túnel para mim. Estou em uma fase bastante delicada da minha vida, e já com 50 anos de idade os problemas afloram a cada dia. Concurso público sempre foi um sonho, mas agora acredito que preciso colocar em prática. Tenho consciência que não será fácil, mas pretendo encarar com garra essa nova etapa. Um abraço e mais uma vez, muito obrigada.

  40. Paulo disse:4 mar 2016 às 8:29 pm · Responder

    Estou começando minha faculdade com 36 anos, não tive oportunidade antes, e vou realizar meu sonho de ser JUIZ .

  41. maria de fatima meira disse:31 jul 2016 às 9:10 pm · Responder

    Dr. Leador vou fazer igual a você…toda vez que avançar nos estudos vou queimar a ponte da etapa ultrapassada. Estava aqui desanimada, formada em direito com 37 anos e achando que ja estava velha demais para concursos..obrigada por compartilhar este depoimento..abraço

Menções deste artigo em outros sites:

  1. Relatos de aprovados em concursos públicos pulicados em 2011 | Concursos Públicos Prof Rogerio Neiva

Deixe um Cometário